Tempo
|
A+ / A-

D. Américo Aguiar

Novo bispo de Setúbal reconhece realidades sociais “muito díspares” na diocese

29 set, 2023 - 13:23 • Lusa

Dando como exemplo a situação na Autoeuropa, Américo Aguiar diz que passou "a ter um interesse que mexe as entranhas”.

A+ / A-

O novo bispo de Setúbal, Américo Aguiar, reconheceu esta sexta-feira existirem realidades sociais “muito díspares” na diocese e admitiu particular preocupação por situações como a da empresa Autoeuropa.

Questionado pelos jornalistas, na Cidade do Vaticano, sobre qual a prioridade para a Diocese de Setúbal, da qual vai tomar posse em 26 de outubro, Américo Aguiar começou por dizer que deseja “profundamente ir ao terreno, estar com as pessoas”.

Depois, deu o exemplo da fábrica da Volkswagen, em Palmela, admitindo ter tido sempre “algum carinho e alguma curiosidade pelo projeto Autoeuropa”.

“Com estas últimas notícias, passei a ter um interesse que me mexe as entranhas”, declarou, referindo-se à paragem da produção da unidade, que vai ser retomada em 02 de outubro.

Américo Aguiar estendeu as preocupações “àqueles que vivem em satélite da Autoeuropa”.

O bispo, que vai ser investido cardeal no sábado, apontou ainda “todas aquelas atividades económicas e industriais [em] que a Península de Setúbal é particularmente importante, para o país e para as pessoas que lá vivem”.

Adiantando que tem tido a “perceção da diversidade de origens das pessoas que vivem neste território”, Américo Aguiar, até agora bispo auxiliar de Lisboa, assinalou também, entre outros aspetos, as “realidades sociais de habitação, da falta dela, dos problemas laborais”.

“Eu tenho aqui muitas frentes (…) que gostaria, nos primeiros tempos, antes de achar o que quer que seja, de fazer com as pessoas, ir ao encontro das pessoas e tentar conhecer estas diversas realidades”, adiantou.

Segundo o bispo, até agora auxiliar em Lisboa, a “realidade de Setúbal é policromática com todas estas realidades no terreno”.

“Tenho consciência que a Comporta e não sei onde são realidades sociais muito díspares”, declarou, considerando que Setúbal “tem tudo”.

Américo Aguiar citou o bispo Armindo Lopes Coelho (1931-2010), que dizia “uma grande diocese, tem grandes problemas e grandes soluções”, adiantando que se aplica a Setúbal, que “tem problemas, mas também tem soluções”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+