Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Patriarcado de Lisboa

Padre de Massamá suspenso por alegados abusos sexuais

07 out, 2022 - 12:40 • Ana Catarina André

Patriarcado de Lisboa diz que queixa foi remetida para o Dicastério da Doutrina da Fé "e em seguida para o Ministério Público". A Renascença sabe que foi o próprio que pediu o afastamento, e apurou que não frequenta a paróquia desde agosto

A+ / A-

Um padre do Patriarcado de Lisboa foi suspenso de funções por suspeita de abuso sexual de menores, avança o Patriarcado em nota divulgada esta sexta-feira no seu site.

O afastamento teve lugar na sequência de uma queixa recebida pela Comissão Diocesana de Proteção de Menores que envolve o padre Luís Cláudio Ferreira dos Santos, pároco de Massamá, no concelho de Sintra.

A Renascença apurou que foi o próprio que pediu a suspensão, no seguimento da denúncia, e que não frequenta a paróquia desde agosto.

“O sacerdote em causa suspendeu o exercício do ministério pastoral na comunidade que lhe estava confiada, aguardando o apuramento da verdade”, lê-se na nota.

O Patriarcado garante ainda que a denúncia “foi enviada para o Dicastério da Doutrina da Fé e em seguida para o Ministério Público”.

O caso encontra-se em segredo de justiça, no Ministério Público e também "no foro canónico".

O Patriarcado diz-se "disponível para acompanhar as vítimas que assim o desejarem" e "renova o seu compromisso em tudo fazer para erradicar esta dramática realidade dos abusos de menores".

[atualizado às 13:16, com alteração de título e novas informações adicionadas; o padre em questão não foi afastado pelo Patriarcado, foi o próprio que pediu a suspensão de funções na sequência da queixa]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+