Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Notícia Renascença

Vaticano impôs "restrições disciplinares" a D. Ximenes Belo há dois anos

29 set, 2022 - 14:17 • Isabel Pacheco , Ana Catarina André

A Congregação para a Doutrina da Fé soube das suspeitas de abuso sexual de menores que envolvem o antigo bispo de Díli, em 2019, revelou à Renascença, a Sala de Imprensa da Santa Sé. As sanções foram aplicadas em 2020 e reforçadas em 2021.

A+ / A-

O Vaticano confirmou, esta quinta-feira, que a Congregação para a Doutrina da Fé teve conhecimento, em 2019, do caso dos alegados abusos sexuais praticados por D. Carlos Ximenes Belo no seu país, nos anos 1990 e revelou que aplicou sanções ao antigo bispo de Díli.

Num esclarecimento enviado à Renascença, a Sala de Imprensa da Santa Sé adianta que, a propósito das acusações sobre o comportamento do bispo, a Congregação “impôs restrições disciplinares” em setembro de 2020.

Segundo o comunicado, as restrições impostas ao Nobel da Paz incluíam “limitações nos movimentos e exercício do ministério" de Ximenes Belo, bem como, "a proibição de contacto voluntário com menores, de entrevistas e contactos com Timor-Leste”.

Medidas que, em novembro de 2021, foram “modificadas e reforçadas”, acrescenta a sala de imprensa do Vaticano, que adianta que “em ambas as ocasiões, as medidas foram formalmente aceites pelo bispo”.

O alegado caso de abuso praticado pelo ex-administrador apostólico de Díli foi tornado público, esta quarta-feira, pelo jornal holandês “De Groene Amsterdammer”.

O periódico publicou testemunhos de alegadas vítimas de abusos sexuais cometidos, quando eram menores, durante vários anos, pelo Nobel da Paz, D. Carlos Ximenes Belo. Ainda, segundo o mesmo artigo, os alegados casos terão começado, ainda, antes de D. Ximenes ter sido nomeado bispo, na década de 1980.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ângelo Almeida
    29 set, 2022 Santa Maria da Feira 17:00
    Eu frequentei dois seminários e nunca tive nada a apontar no que diz respeito a este tipo de abusos, e por isso fico estupefacto quando ouço e leio estas tristes notícias e então questiono: porque não autorizar o casamento dos padres e assim evitar que aconteçam tantos casos?

Destaques V+