Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Santiago de Compostela. Jovens desafiados à "revolução da fraternidade" e convocados para a JMJ Lisboa 2023

07 ago, 2022 - 11:39 • Ecclesia

O cardeal D. António Marto, enviado especial do Papa, presidiu à celebração de encerramento da Peregrinação Europeia de Jovens.

A+ / A-

O cardeal D. António Marto presidiu este domingo à missa de encerramento da Peregrinação Europeia de Jovens (PEJ) 2022, em Santiago de Compostela, e desafiou os jovens a uma “revolução da fraternidade”.

“Uma revolução sem armas, sem mortos nem feridos, uma revolução que parte do amor fraterno e engloba a cultura do cuidado mútuo e a cultura do encontro que faz pontes, derruba muros de divisão e estreita distâncias entre pessoas, culturas e povos”, disse D. António Marto no Monte del Gozo, em Santiago de Compostela.

A Peregrinação Europeia de Jovens realizou-se em Santiago de Compostela no âmbito do Ano Santo Compostelano e reuniu cerca de 12 mil jovens de vários países europeus, nomeadamente Portugal.

O enviado especial do Papa Papa Francisco à PEJ 2022 disse na homilia de encerramento que o encontro de jovens em Santiago é um “belo exemplo” de fraternidade.

“Destes um belo exemplo de fraternidade nas ruas de Santiago”, afirmou o bispo emérito da Diocese de Leiria-Fátima.

D. António Marto evocou o exemplo de Carlos de Foucauld e do Papa, nomeadamente na encíclica “Fratelli Tutti”, onde propõe que seja cultivada a virtude da amabilidade que “cria fraternidade, amizade social, solidariedade”.

O enviado do Papa à PEJ 2022 disse que os cristãos não podem esquecer que “sem a música do Evangelho” perdem “alegria que brota da compaixão, a ternura que nasce da confiança, a capacidade de reconciliação que encontra a sua fonte no facto de saber-se sempre perdoado e enviado”

“É muito triste ver um cristão, sobretudo se é jovem, sem alegria”, disse D. Antónnio Marto.

O bispo emérito de Leiria-Fátima pediu aos jovens presentes para se comprometerem na construção de “um mundo mais verdadeiro”, onde “nada fique para trás nem de fora, esquecido, abandonado” e onde a “a paz prevaleça sobre a guerra, onde a vida humana é respeitada de maneira absoluta, desde a concepção até à morte, onde a casa comum é realmente um lugar harmonioso para todos”.

No fim da celebração, D. António Marto saudou os grupos de jovens presentes e despediu-se “até Lisboa, na Jornada Mundial da Juventude, no próximo ano”.

Ao agradecer aos jovens presentes e ao enviado do Papa Francisco, o arcebispo de Santiago de Compostela, D. Julián Barrio, lembrou a todos os jovens participantes na PEJ 2022 a Jornada Mundial da Juventude, em 2023, para viver a “proximidade” do Papa Francisco.

“Com Santiago, apóstolo e peregrino, estamos convocados para o ano que vem para viver a proximidade ao apóstolo Pedro, no seu sucessor Francisco, na Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa”, afirmou o arcebispo de Santiago de Compostela.

A Cruz da JMJ e o Ícone mariano que a acompanha, símbolos da Jornada Mundial da Juventude, estiveram, por estes dias, em Santiago de Compostela, numa etapa especial da atual peregrinação pelas dioceses portuguesas, rumo ao encontro internacional de Lisboa (1 a 6 de agosto de 2023).

A Peregrinação Europeia de Jovens, que decorre desde quarta-feira, inclui momentos de oração, concertos, encontros temáticos e propostas culturais, em toda a cidade de Santiago.

Segundo a organização, marcam ainda presença 55 bispos de Espanha, Itália e Portugal, 370 sacerdotes e 400 consagrados.

A delegação portuguesa, com cerca de 250 participantes, chegou de oito dioceses e três movimentos juvenis.

A Peregrinação Europeia decorre no contexto do Xacobeo, o Ano Santo, que foi prorrogado até final de 2022, pelo Papa Francisco, por causa da pandemia de Covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+