Tempo
|
A+ / A-

Papa Francisco: "Eu não ganho nada. Se precisar de sapatos, peço”

01 abr, 2022 - 12:55 • Olímpia Mairos

Francisco responde a cem perguntas de pobres de todo o mundo. Livro-entrevista foi publicado esta sexta-feira. O Papa sublinha que a sua pobreza “é fictícia", uma vez que nada lhe falta.

A+ / A-

O Papa Francisco revela num livro-entrevista publicado esta sexta-feira que não ganha nada e critica os membros do clero que “têm carros de luxo” e dão testemunhos negativos.

“Eu não ganho nada - essa é a resposta - mas mesmo nada! Sou sustentado e, se precisar de alguma coisa, peço. Dizem-me sempre que sim, na verdade. Não se discute com o Papa. Se eu precisar de sapatos, peço”, diz Francisco.

O Papa refere que “é bom” quando se está “tão protegido”, como é o seu caso, e poder andar de “bolsos vazios”.

“Na falta de proteção, porém, é preciso ter algo no bolso”, assinala o Papa, esclarecendo que a sua pobreza “é fictícia, porque não me falta nada”.

Questionado sobre a pobreza no mundo, responde com algumas críticas ao clero.

“Dói-me que homens da Igreja, padres, bispos, cardeais, dirijam carros de luxo e, longe de darem o exemplo da pobreza, deem os testemunhos mais negativos”, diz.

O livro “Em diálogo com o mundo” contém as respostas do Papa às 100 questões que lhe foram colocadas pobres de todo o mundo e de acordo com portal ‘Vatican News’, espelha os “quatro longos encontros” de Francisco com pequenos grupos de sem-abrigo e trabalhadores precários da Associação Lazare, na Casa de Santa Marta.

As perguntas foram feitas por crianças das favelas brasileiras e mulheres das planícies indianas, crianças do deserto iraniano e americanos sem-abrigo, prostitutas asiáticas e famílias malgaxes.

Christian, Ricardo, Philippe, Manoli, Diana, Jesús, Charlotte, Orelio, Alain atuaram como porta-vozes dos pobres de 80 países, que dirigiram as suas perguntas ao Papa através de Lazare e de cerca de vinte associações e ONG dos cinco continentes, como Fidesco ou Enfants du Mékong.

De acordo com o Vaticano, os direitos de autor do livro revertem em favor destas instituições.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+