Tempo
|
A+ / A-

Autismo. Papa diz que é necessário quebrar preconceitos e promover cultura de inclusão

01 abr, 2022 - 16:04 • Ana Lisboa

Francisco recebeu esta sexta-feira uma delegação da Federação Italiana de Autismo para assinalar a celebração, no sábado, 2 de abril, do Dia Mundial da Consciencialização do Autismo.

A+ / A-

O Papa defendeu esta sexta-feira a necessidade de "uma cultura de inclusão e pertença, trabalho conjunto e participação ativa".

As declarações foram proferidas durante um encontro com a Federação italiana de Autismo, para assinalar o Dia Mundial da Consciencialização do Autismo que se celebra este sábado, dia 2 de abril.

Francisco exortou a uma "mudança de mentalidade", defendendo a necessidade de "continuar a sensibilizar para os vários aspetos da deficiência, quebrando preconceitos e promovendo a cultura de inclusão e da pertença, baseada na dignidade da pessoa”.

“É a dignidade de todos aqueles homens e mulheres mais frágeis e vulneráveis, que são muitas vezes marginalizados por serem rotulados como diferentes ou até inúteis, mas que, na realidade, são uma grande riqueza para a sociedade", acrescentou.

O Papa deixou também um desejo: "Espero que as próprias pessoas com deficiência se tornem cada vez mais protagonistas desta mudança, enfrentando barreiras físicas e não se fechando, mas "participando ativamente."

O Santo Padre recordou ainda a necessidade de as apoiar, nomeadamente através do acesso "à educação, ao emprego e a áreas de lazer".

"Isto requer uma mudança de mentalidade. Foram dados grandes passos nessa direção, mas o preconceito, a desigualdade e também a discriminação continuam a existir."

Nesse sentido, apelou a que "as próprias pessoas com deficiência se tornem cada vez mais protagonistas desta mudança" e pediu que as organizações civis e comunidades eclesiais trabalhem em conjunto para combater a "cultura do descarte".

Sublinhou ainda o trabalho desta instituição italiana que apoia os autistas, como um contributo para a valorização dos "mais fracos e desfavorecidos".

O Papa lembrou igualmente os desafios atuais, como a pandemia e a guerra na Ucrânia que acabam por deixar marcas sobretudo "nos idosos, nas pessoas com deficiência e nas suas famílias" e alertou para a importância do "trabalho em rede e a solidariedade".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+