Tempo
|
A+ / A-

Jovens debatem “A difícil arte de votar”

25 jan, 2022 - 09:59 • Olímpia Mairos

Jovens cristãos querem contribuir para um debate esclarecedor e que ajude quem vota no seu processo de escolha.

A+ / A-

A Comunidade Rupert Mayer, grupo de jovens ligados ao CUPAV – Centro Universitários dos Jesuítas em Lisboa, está a organizar duas sessões intituladas “A difícil arte de votar”.

A iniciativa surge da consciência de que a “decisão do voto é um processo difícil para muitas pessoas” e da vontade de “contribuir para um debate esclarecedor e que ajude quem vota no seu processo de escolha”, explica a organização, em comunicado.

A primeira sessão tem lugar esta terça-feira, às 21h15, no CUPAV, e vai procurar fazer um resumo crítico dos programas eleitorais dos partidos com assento parlamentar.

Para quarta-feira, à mesma hora, os jovens convidam para o diálogo Inês Espada Vieira, professora universitária e vice-presidente do Centro de Reflexão Cristã, e Pedo Moraes Vaz, advogado e autor de um livro sobre a Doutrina Social da Igreja.

A Comunidade Rupert Mayer é um grupo de jovens que se “sentem interpelados a olhar para a realidade social e política, partindo do Evangelho”, reúne-se quinzenalmente, pautando a sua missão por “discernir a presença e participação no espaço público, na vida cívica e na política”, lê-se no documento.

O CUPAV - Centro Universitário Padre António Vieira é um espaço para estudantes universitários e pretende ser um lugar em que se proporciona o encontro com Deus, o autoconhecimento, o sentido de pertença a uma a comunidade, a reflexão, e onde se exercita o sentido de compromisso com o mundo, através de grupos de voluntariado e de iniciativas como a Comunidade Rupert Mayer.

A participação é aberta a todas as pessoas, mas, para que se faça uma gestão de acordo com normas em vigor (Covid-19), a organização pede que seja feita uma inscrição.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+