Tempo
|
A+ / A-

Comunicação Social. Papa valoriza importância da escuta e de ouvir histórias concretas

24 jan, 2022 - 11:28 • Henrique Cunha

Na mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, Francisco diz que “a escuta é o primeiro e indispensável ingrediente do diálogo e da boa comunicação”.

A+ / A-

Na sua mensagem para o Dia das Comunicações Sociais, divulgada esta manhã, Francisco pede para se “escutar com o ouvido do coração”, porque “a escuta continua a ser essencial para a comunicação humana”.

O Papa lembra as novas ofertas de comunicar – os podcast e chat áudio – que, em sua opinião, sublinham a importância de ouvir, mas alerta que “estamos a perder capacidade de ouvir a pessoa que temos à nossa frente”.

“Aquilo que torna boa e plenamente humana a comunicação é precisamente a escuta de quem está à nossa frente”, assinala.

Na mensagem, Francisco afirma que “esta falta de escuta, que tantas vezes experimentamos na vida quotidiana, é real, também, infelizmente, na vida pública, onde, com frequência, em vez de escutar, «se fala pelos cotovelos», e isto é sintoma de que se procura mais o consenso do que a verdade e o bem”.

O Papa entende que “a boa comunicação presta atenção às razões do outro e procura fazer compreender a complexidade da realidade” e afirma que “é triste quando surgem, mesmo na Igreja, partidos ideológicos, desaparecendo a escuta para dar lugar a estéreis contraposições”.

“Na realidade, em muitos diálogos, efetivamente não comunicamos; estamos simplesmente à espera que o outro acabe de falar para impor o nosso ponto de vista”, refere.

Francisco considera que a “capacidade de escutar a sociedade é ainda mais preciosa neste tempo ferido pela longa pandemia” e adianta que a “própria realidade das migrações forçadas” que “é uma problemática complexa” deve levar-nos a “tentar ouvir as suas histórias; dar um nome e uma história a cada um deles”.

Segundo o Papa, “também na Igreja há grande necessidade de escutar e de nos escutarmos”, explicando que “devemos escutar através do ouvido de Deus, se queremos poder falar através da sua Palavra”.

Francisco recorda que “recentemente deu-se início a um processo sinodal” e pede para que “rezemos para que seja uma grande ocasião de escuta recíproca”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais foi a única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II, no decreto ‘Inter Mirifica’, em 1963; assinala-se, em cada ano, no domingo antes do Pentecostes, este ano a 29 de maio.

Ao início da tarde, no Cristo Rei, em Almada, a Comissão Episcopal da Cultura Bens Culturais e Comunicações Socais e a Diocese Setúbal promovem a apresentação da mensagem do Papa para o 56.º Dia Mundial Comunicações Sociais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+