Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Angelus. Papa evoca sofrimento dos migrantes que encontrou em Lesbos

08 dez, 2021 - 14:31 • Celso Paiva Sol , Henrique Cunha

No Vaticano, neste dia da Imaculada Conceição, Francisco recordou a recente visita ao Chipre e à Grécia.

A+ / A-

O Papa evocou nesta quarta-feira, no Vaticano, o sofrimento dos migrantes que encontrou na sua recente viagem ao Chipre e à Grécia. Após a recitação da oração do Angelus, na solenidade da Imaculada Conceição, Francisco disse que os cristãos não podem virar a cara para o outro lado quando encontram sofrimento.

“Em Chipre, como em Lesbos, pude ver, olhos nos olhos, todo este sofrimento. Por favor, olhemos nos olhos dos descartados com que nos encontrámos; deixemo-nos provocar pelos rostos das crianças filhas de migrantes desesperados; deixemo-nos tocar por dentro pelo seu sofrimento para reagir à nossa indiferença. Olhemos o seu rosto para despertarmos do sono do costume”, apelou.

Francisco agradeceu a todos os que o acompanharam na sua “peregrinação” à Grécia e ao Chipre e disse ter-se sentido “em família” nos dois países, de maioria ortodoxa.

Do Chipre, fala mesmo num "laboratório de fraternidade".

“Como cristãos, percorremos caminhos diferentes, mas somos filhos da Igreja de Jesus, cuja mãe nos acompanha, nos guarda e faz avançar todos os irmãos. O meu desejo para o Chipre é que seja sempre um laboratório de fraternidade, onde o encontro prevaleça sobre o desencontro; onde o irmão seja acolhido, sobretudo quando é pobre, descartado ou emigrado”, pediu.

“Repito que, perante a História e perante os que emigram, não podemos virar a cara para o outro lado”, reforçou.

Antes, de madrugada, na cerimónia de homenagem à Imaculada Conceição, o Papa pediu a Virgem Maria que “desfizesse o coração de pedra daqueles que levantam muros para afastar de si a dor dos outros”.

Refugiados em Lesbos. Famílias vivem em contentores e tendas
Refugiados em Lesbos. Famílias vivem em contentores e tendas
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+