Tempo
|
A+ / A-

Arcebispo de Braga condena atitude centralista do Estado na resposta social

05 dez, 2021 - 08:36 • Isabel Pacheco

“O particular responde a muita situação que aflige o povo português", lembra D. Jorge Ortiga, numa altura em que diocese minhota se prepara para abrir portas a mais uma cozinha social.

A+ / A-

O arcebispo de Braga critica a “atitude centralista” e “totalitária” do Governo num momento em que o país atravessa dificuldades, lamentando que o trabalho dos privados na resposta social ao país seja ignorado.

“O particular responde a muita situação que aflige o povo português. Com o privado muitas respostas poderiam ser realizadas, porventura, melhores e muito mais económicas”, defende D. Jorge Ortiga, lamentando que o Governo em vez de apoiar o privado tenha “uma atitude centralista e totalitária e em alguns casos, negando, ou tentando negar, a existência do privado”.

Para o prelado de Braga, encontrar respostas estruturadas no combate à pobreza deve ser a prioridade e o desafio das autoridades que não podem ficar pela “caridade assistencialista”.

“Sabemos que não nos basta esta resposta imediata, este subsídio, estas coisinhas, esta caridade assistencialista. É necessário lutar para encontrar estruturas que tornem as pessoas autossuficientes”, aponta.

“É urgente que as autoridades olhem para isso.”

Preocupado com as consequências da pandemia na vida dos portugueses, D. Jorge está convicto que a crise social ainda se poderá agravar e pede, por isso, a união de esforços na resposta às dificuldades.

“Temos que começar a unir esforços e vontades para que se possa viver dignamente”, pede nestas declarações, acrescentando: “Enquanto não formos capazes de colaborar, de estabelecer pontes e criar parcerias, de darmos as mãos, enquanto andar cada um a fazer as suas coisas não conseguiremos absolutamente nada”.

Na resposta à crise social em sequência da pandemia, a arquidiocese de Braga abre portas, este domingo, a mais uma cozinha solidária. Um projeto do movimento dos cursos da cristandade em parceria com a associação 4 Corações que vai passar a servir refeições diárias aos mais necessitados.

A inauguração acontece em dia de S. Geraldo, patrono da cidade de Braga.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+