Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Papa planeia levar meia centena de migrantes do Chipre para Roma

04 dez, 2021 - 09:55 • Redação com agências

Francisco, que deixou mensagem de "fraternidade" em Chipre, chegou este sábado à Grécia, onde vai visitar um campo de refugiados em Lesbos.

A+ / A-

“Um gesto humanitário” que vai acontecer em breve e será a continuação ideal da viagem do Papa a Chipre. É assim que o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, confirma que um grupo de refugiados será acolhido em Itália.

Assim, nas “próximas semanas” uma dezena de refugiados no Chipre serão transferidos para Itália, mas o objetivo é “receber cerca de 50 pessoas, incluindo mulheres solteiras com seus filhos” em poucos meses.

Segundo o site oficial do Vaticano, esta transferência “será possível graças a um acordo entre a Secretaria de Estado, as autoridades italiana e cipriota”, com a colaboração da “Seção para Migrantes e Refugiados da Santa Sé e a Comunidade de Santo Egídio”.

É um “sinal da preocupação do Santo Padre pelas famílias e pelos migrantes”, diz Matteo Bruni, recordando que alguns são migrantes saudados pelo Papa no final da oração realizada na tarde de sexta-feira na Igreja de Santa Cruz, em Nicósia.

“Gostaríamos de expressar a nossa gratidão pela iniciativa de transferir migrantes de Chipre para Itália”, disse o presidente cipriota Nicos Anastasiades. “A sua iniciativa simbólica é, acima de tudo, um forte sinal da necessária revisão da política de migração europeia”, referiu.

Em 2016, no regresso da sua primeira visita à ilha grega de Lesbos, Francisco levou três famílias de refugiados sírios, incluindo seis crianças, que ficaram a cargo da comunidade de Santo Egídio.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+