Tempo
|
A+ / A-

Abusos sexuais

Pedro Strecht vai chefiar comissão para estudo dos abusos na Igreja

30 nov, 2021 - 10:31 • Filipe d'Avillez

O psiquiatra da infância e da adolescência vai apresentar a sua equipa na quinta-feira.

A+ / A-

A Igreja Católica pediu ao psiquiatra Pedro Strecht que chefie a Comissão Independente para o Estudo dos Abusos de Menores na Igreja.

A informação consta de um comunicado enviado esta manhã à Renascença.

O psiquiatra da infância e adolescência terá como missão apresentar à sociedade uma análise da forma como a Igreja Católica em Portugal tem lidado com o assunto do abuso sexual de crianças em ambiente eclesial.

A apresentação formal da comissão, bem como da sua constituição, será feita no próximo dia 2 de dezembro, em conferência de imprensa na Fundação Calouste Gulbenkian. Pedro Strecht tem larga experiência na questão de abusos sexuais de menores, tendo participado, como perito, na investigação ao processo Casa Pia.

Portugal segue assim o exemplo de outros países onde a Igreja formou comissões de especialistas independentes para apresentar uma análise detalhada da forma como a Igreja tem tratado desta questão. O caso mais recente foi em França, mas também já houve comissões independentes na Alemanha, na Irlanda e em vários estados norte-americanos.

A decisão de criar uma comissão independente tinha sido anunciada pelos bispos portugueses no final da sua última assembleia plenária, em Fátima, com vista a “fazer o estudo em ordem ao apuramento histórico” da questão dos abusos sexuais de menores cometidos por membros do clero em Portugal.

A Igreja irá ter também uma comissão nacional, uma espécie de grupo coordenador das comissões que em cada diocese foram criadas, com o objetivo de “reforçar e alargar o atendimento dos casos e o respetivo acompanhamento a nível civil e canónico, e fazer o estudo em ordem ao apuramento histórico desta grave questão“, como sublinhou na altura o comunicado final da Conferência Episcopal Portuguesa.

[Notícia atualizada às 10h52]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+