Tempo
|
A+ / A-

Dia Mundial dos Pobres

“Cristo está presente nos pobres”, diz Francisco

14 nov, 2021 - 11:36

O Papa disse esta domingo que o grito dos pobres, aliado ao grito da Terra, se fez ouvir em Glasgow, durante o COP26.

A+ / A-

O Papa Francisco disse este domingo que Cristo está presente de forma particular nos pobres.

No final da recitação do Angelus, em Roma, Francisco recordou que este domingo se assinala o Dia Mundial dos Pobres, uma efeméride por ele instituída há cinco anos.

“Hoje celebramos o quinto Dia Mundial dos Pobres, que surgiu como fruto do Jubileu da Misericórdia. O tema deste ano são as palavras de Jesus: ‘Os pobres tê-los-ão sempre convosco’. E é verdade. A humanidade progride, desenvolve-se, mas os pobres estão sempre connosco. Neles está presente Cristo. Nos pobres está presente Cristo”, sublinhou Francisco.

O Papa disse então que o grito dos pobres se fez ouvir precisamente no sábado. “O grito dos pobres, unido ao grito da terra, fez-se ouvir ontem na Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climática, o COP26, em Glasgow. Encorajo todos os que têm responsabilidades políticas e económicas a agira rapidamente, com coragem e visão, e ao mesmo tempo convido todos os homens de boa-vontade a exercer a cidadania ativa para o cuidado da Casa Comum.”

A este respeito Francisco recordou que “nesta Jornada Mundial dos Pobres, abrem-se as inscrições para a Plataforma Laudato Si', que promove a ecologia integral.”

Antes, durante a meditação sobre o Evangelho deste domingo, Francisco aproveitou para explicar aos fiéis a importância de se concentrarem nos bens eternos, e não nos que passam.

“E nós, em que é que estamos a investir a nossa vida? Em coisas passageiras, como o dinheiro, o sucesso, a aparência, o bem-estar físico? Estamos presos a coisas terrenas, como se fôssemos viver para sempre?”

“A Palavra de Deus de hoje adverte: as coisas deste mundo passarão. E apenas o amor permanecerá. Edificar a nossa vida sobre a Palavra de Deus, contudo, não é um fugir à história, é um imergir na realidade terrena para torná-la salgada, para a transformar com o amor, imprimindo-lhe o sinal da eternidade, o sinal de Deus”, disse o Papa.

“Aqui vos deixo um conselho para as escolhas importantes. Antes de decidir, imagine-se diante de Jesus, como no final da vida, diante dele que é Amor. Pensando-nos aí, junto a Ele, no limiar da eternidade, tomemos as decisões de hoje. Não serão porventura as mais fáceis, nem as mais imediatas, mas serão as melhores”, concluiu Francisco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+