Tempo
|
A+ / A-

Eugénio da Fonseca

Dia Mundial Pobres “não é para falar deles, mas estar com eles”

07 nov, 2021 - 08:40 • Henrique Cunha

Presidente da Confederação Portuguesa do Voluntariado diz que há um novo perfil. Além da geracional, há pobres com qualificações académicas e ainda uma pobreza ligada à infoexclusão.

A+ / A-

A propósito do Dia Mundial dos Pobres, que se assinala no próxima dia 14 de novembro, Eugénio da Fonseca, presidente da Confederação Portuguesa do Voluntariado e ex-presidente da Cáritas portuguesa, defende que esta data “é muito importante para se começar a fazer experiências de integração dos pobres nas comunidades cristãs, para se deixar de ter os pobres à porta das igrejas e passá-los para dentro da Igreja, tentado resolver os problemas complexos dessas pessoas”.

Na sua opinião, é um dia “não para falar deles, mas estar com os pobres” e é “por isso que o Santo Padre pede que haja iniciativas ao nível das comunidades cristãs”, porque é ao nível das comunidades que os pobres se encontram.

O responsável pela Confederação do Voluntariado refere que infelizmente “é rara a semana em que não aparece em alguma paróquia alguém a pedir ajuda para o seu agregado familiar”. É nesta altura que deve arrancar a sua integração nas comunidades cristãs.

O antigo presidente da Cáritas Portuguesa sustenta que para além da pobreza geracional que persiste, em Portugal há um novo perfil. “Temos gente pobre e com qualificações académicas. Há gente que não encontra um posto de trabalho e admite-se até que possa haver gerações que nunca venham a ter trabalho. Eu conheço gente com licenciaturas que vai para as caixas das grandes superfícies”, refere.

Existe uma outra forma de pobreza que é a infoexclusão. “Todos já percebemos que para se ter acesso à igualdade de oportunidades, que é um direito básico tem que se recorrer à Internet porque é lá que estão os documentos para preencher, os passos a seguir”, explica. Por último, Eugénio da Fonseca identifica um outro tipo de pobreza “que se veio a tornar mais expressiva com a pandemia e que é a solidão”, pois “pode fazer as pessoas ficarem mais doentes, e ficando mais doentes ficam mais pobres”.

Livro sobre Pobres solidário com pobres de Pemba

Eugénio da Fonseca contribuiu para a reflexão sobre este Dia Mundial da Pobreza através do livro “Jesus representa todos os Pobres – subsídios para o dia Mundial dos Pobres”. O autor defende ser “um livro que pode ser aproveitado para além dos Dia Mundial dos Pobres”, por isso, “desejaria que os grupos socio-caritativos e as instituições sociais da Igreja pudessem ter a oportunidade de refletir sobre os nove pontos que o Santo Padre propõe (na mensagem para o dia mundial dos pobres)”.

Nesta entrevista, explica que “o título dado ao livro é para usar uma expressão do Santo Padre”, mas admite que “todos nós sabemos que Jesus não representa só os pobres, pois Jesus está nos pobres”.

O autor quer que este livro seja “um pequeno subsídio” para ajudar a diocese de Pemba, em Cabo Delgado, no Norte de Moçambique. “O livro custa cinco euros, mas a editora-as Irmãs Paulinas - que não cobraram nada pelo custo - irão enviar dois euros para a diocese de Pemba para ajudar aqueles pobres que estão a ser vítimas de atos terroristas altamente criminosos”.

No próximo domingo assinala-se o V Dia Mundial dos Pobres. O Papa Francisco instituiu a data em 2016 inspirado na experiência do Jubileu da Misericórdia e celebra-se no penúltimo domingo do ano litúrgico.

A celebração é inspirada no Ano Santo da Misericórdia (dezembro 2015-novembro 2016) e, particularmente, no ‘Jubileu das Pessoas Excluídas Socialmente’, que se celebrou no Vaticano a 13 de novembro, dia em que se fecharam as Portas Santas em todas as catedrais e santuários do mundo.

“Intuí que, como mais um sinal concreto deste Ano Santo extraordinário, se deve celebrar em toda a Igreja, na ocorrência do XXXIII Domingo do Tempo Comum, o Dia Mundial dos Pobres”, escreveu Francisco, na carta apostólica ‘Misericórdia e mísera’, com a qual marcou o final do Jubileu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    07 nov, 2021 PORTUGAL 10:24
    " começar a fazer EXPERIÊNCIAS com a integração dos POBRES ". Sempre pensei que ao fazermos o 25 de ABRIL, também irradicariamos a pobreza deste País. Pelo menos foi uma das promessas. Depois de tantos anos e de tantos MILHÕES de roubo, falar em POBREZA, devia deixar envergonhados TODOS aqueles que se sentam nas CADEIRAS das instituições " MUITÍSSIMAS " do Estado. Ainda falam dos Países Africanos.

Destaques V+