Tempo
|
A+ / A-

Papa agradece “liberdade” de criança que foi ter com ele

20 out, 2021 - 10:08 • Filipe d'Avillez

Francisco estava em plena audiência geral quando uma criança se levantou da plateia para ir ter com ele e ainda lhe pediu o solidéu.

A+ / A-

O Papa aproveitou um momento insólito na audiência geral, esta quarta-feira, para elogiar a espontaneidade e a liberdade das crianças.

Em plena audiência geral, enquanto um sacerdote lia o Evangelho em espanhol, uma criança saiu da plateia e foi ter com Francisco.

O Papa sorriu para o rapaz e estendeu-lhe as mãos e depois o menino deu a volta à cadeira e falou com o clérigo que estava a acompanhar Francisco, apontando a dada altura para a cabeça do Papa, como que pedindo que este lhe desse o seu solidéu branco.

(Pode ver o momento aos cinco minutos do vídeo)


Num momento que gerou risos e aplausos entre a multidão, o rapaz foi ter com o padre brasileiro que, entretanto, tinha subido para ler o evangelho em Português e, puxando-o pelo braço, levou-o até junto de Francisco e voltou a pedir o solidéu do Papa. Pouco depois voltou para o seu lugar.

A audiência prosseguiu, com o Papa a aproveitar para falar daquele momento. “Agradeço a este menino pela lição que nos deu a todos. Que o Senhor o ajude em sua limitação, em seu crescimento, porque ele deu este testemunho que veio de seu coração. As crianças não têm um tradutor automático do coração para a vida: o coração continua.”

“Este menino teve a liberdade de se aproximar e se mover como se estivesse em casa”, disse o Papa, lembrando as palavras de Jesus de que quem não for como uma criança não entrará no Reino do Céu. Francisco elogiou a “coragem de aproximar-se do Senhor, de estar aberto ao Senhor, de não ter medo do Senhor.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+