Tempo
|
A+ / A-

Abusos sexuais

Diocese de Viseu tem dois casos de abusos em investigação

13 out, 2021 - 11:22 • Filipe d'Avillez , Fátima Casanova

O relatório relativo a um dos padres suspeitos foi entregue ao bispo, que suspendeu preventivamente o sacerdote e fez chegar a informação ao Ministério Público.

A+ / A-

A diocese de Viseu tem dois casos de abusos sexuais em investigação. A informação foi confirmada à Renascença pelo responsável pela Comissão Diocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis de Viseu.

Confrontado com o caso tornado público esta quarta-feira de um padre que está a ser investigado por enviar mensagens de teor sexual a um menor de idade, o advogado Luís Manuel Coimbra Pereira diz que a denúncia foi feita em abril e já foi devidamente investigada pela comissão.

“Esta denúncia foi apresentada em abril deste ano. A comissão tomou as diligências de prova que entendeu, reuniu os elementos e produziu um relatório final que fez chegar às entidades competentes, nomeadamente ao Ministério Público e às instituições que dentro da Igreja tratam das questões no foro canónico”, explica.

O advogado acrescenta que “o senhor bispo fez chegar a sua posição às entidades da Igreja, nomeadamente ao Núncio Apostólico. Após isso, o padre, por questões pessoais pediu o seu afastamento e sabemos que está afastado do seu múnus eclesiástico.”

Mas além do afastamento pedido pelo padre, o bispo D. António Luciano tomou a decisão de o suspender preventivamente.

Segundo Luís Manuel Coimbra Pereira, para além deste caso há outros a ser investigados pela comissão este ano, mas apenas um tem processo aberto. “Algumas denúncias, porque não conseguimos sequer identificar as vítimas, estão em suspenso. Relativamente à outra denúncia conseguimos identificar a vítima e o eventual visado, mas ainda estamos em fase de instrução do próprio processo. ”

Para além de produzir um relatório final sobre cada caso, que é entregue ao bispo da diocese, a comissão fica depois à disposição das autoridades civis para colaborar na medida do possível para o processo, segundo ordens da diocese e da Igreja Universal, conclui o responsável pela Comissão de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis.

Este caso surge numa altura em que o tema voltou a estar na ordem do dia, na sequência da apresentação em França de um relatório que indica, com base em sondagens e estimativas, que poderão ter existido até 330 mil vítimas de abuso sexual em contexto eclesial.

O assunto dos abusos sexuais de menores foi abordado na reunião dos bispos portugueses, em Fátima, tendo sido anunciada a criação de um grupo para acompanhar os casos a nível nacional, composto por representantes das comissões que já existem em todas as dioceses portuguesas.

[Notícia atualizada às 11h39]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+