Tempo
|
A+ / A-

Fátima. Arcebispo de Salvador da Baía preside à peregrinação de outubro

07 out, 2021 - 12:01 • Teresa Paula Costa

O cardeal Ségio Rocha tinha sido convidado a presidir à peregrinação de maio de 2020, mas não pode deslocar-se a Portugal devido às restrições impostas pela pandemia.

A+ / A-

O arcebispo de Salvador da Bahia, e arcebispo primaz do Brasil, cardeal Sérgio da Rocha, preside às celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária de outubro, à Cova da Iria, em Fátima.

O cardeal tinha sido convidado a presidir à peregrinação de maio de 2020, mas não pode deslocar-se a Portugal devido às restrições impostas pela Covid-19.

Para as celebrações da próxima semana, já há registo do maior número de peregrinos desde o início da pandemia. Segundo informação do santuário de Fátima, dos 37 grupos inscritos há peregrinos de 12 diferentes nacionalidades: Espanha, Itália, Suíça, Alemanha, Bélgica, Polónia e Estados Unidos da América, além de um grupo filipino que reside na Holanda.

Celebrando a 6.ª Aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos, da qual ficou conhecido o chamado “milagre do sol”, a peregrinação de outubro é a última grande peregrinação aniversária deste ano ainda muito marcado pela pandemia.

Embora em Portugal o desconfinamento já tenha começado, no recinto de oração, “será obrigatório o uso da máscara e a higienização das mãos à entrada”, indica o gabinete de comunicação do santuário.

Recomendando “especial cuidado e prudência aos peregrinos e participantes que façam parte de um grupo de risco”, o santuário decidiu que “serão reforçadas algumas informações aos peregrinos pelo recurso a sinalética adicional à já existente”, bem como será reforçada “a delimitação de alguns espaços de maneira a criar perímetros de segurança e a gerir o acesso a locais suscetíveis de aglomerações”, tendo em conta “a afluência de peregrinos em elevado número em algumas zonas específicas”.

O posicionamento dos peregrinos no interior do recinto continuará a ser orientado pelos acolhedores, no dia 12, a partir das 19h30, e no dia 13, a partir das 7h30.

Numa mensagem partilhada com os peregrinos a 30 de setembro, o reitor do santuário apelou à “responsabilidade” de cada um, no sentido de “garantir uma transição serena e progressiva para a normalidade”.

Depois da peregrinação de outubro, “a participação dos peregrinos já poderá ser feita sem outros constrangimentos”, sublinhou o padre Carlos Cabecinhas.

Com o tema do ano pastoral “Louvai o Senhor, que levanta os fracos”, esta peregrinação “insere-se na dinâmica para os próximos três anos” que vão levar à Jornada Mundial da Juventude, período em que o santuário estará sintonizado com a preparação do evento, “procurando responder aos novos desafios pastorais colocados pela pandemia.”

A Peregrinação começa no dia 12, às 21h30, com a recitação do Rosário, na capelinha das aparições, seguido de Procissão das Velas e Celebração no altar do recinto de oração. No dia 13 de outubro, às 9h00, haverá a recitação do Rosário na capelinha das aparições e, às 10h00, celebração da Missa, e procissão do Adeus no altar do recinto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+