Tempo
|
A+ / A-

Bispo do Porto sobre o Afeganistão. EUA "fazem e desfazem como lhes apetece. Resultado: o desastre!"

19 ago, 2021 - 09:44 • Lusa

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista.

A+ / A-

O Bispo do Porto critica a forma como os Estados Unidos retiraram as suas forças militares do Afeganistão, considerando que não dialogaram, nem respeitaram a ONU.

"Para lá das razões que [o presidente dos EUA Joe] Biden possa ter e invocar, a tragédia do Afeganistão revela o que sabíamos: na sua ânsia de senhores do mundo e mostrar poder, os USA não dialogam, não implicam os outros, não respeitam a ONU", escreveu D. Manuel Linda na rede social Twitter.

O Bispo do Porto escreveu ainda que os EUA "fazem e desfazem como lhes apetece. Resultado: o desastre!"

Os talibã conquistaram Cabul no domingo, culminando uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista (1996-2001), que acolhia no seu território o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A tomada da capital põe fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

Face à brutalidade e interpretação radical do Islão que marcou o anterior regime, os talibãs têm assegurado aos afegãos que a "vida, propriedade e honra" vão ser respeitadas e que as mulheres poderão estudar e trabalhar.

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    20 ago, 2021 Madeira 13:26
    Vietnam, Iraque, Líbia, Afeganistão, Israel...a América é uma tristeza, sãopolíticos milionários, fracos e nem sabemonde fica Portugal.

Destaques V+