Tempo
|
A+ / A-

Arquidiocese de Jacarta lança serviço móvel de vacinação

06 ago, 2021 - 08:48 • Olímpia Mairos

Destina-se às comunidades mais marginalizadas e às escolas e estudantes com idades entre 12 e 17 anos.

A+ / A-

Veja também:


A Arquidiocese de Jacarta, na Indonésia, em colaboração com três escolas católicas das Irmãs Ursulinas, lançou um serviço móvel de vacinação anti-Covid, chamado Serviam Vaccination Service (SVS).

Segundo o arcebispo de Jacarta, cardeal Ignatius Suharyo, citado pelo portal de notícias do Vaticano, “este serviço é a manifestação concreta de um ato de compaixão e partilha de amor às pessoas necessitadas”.

Ao todo são oito veículos que transportam entre 100 e 200 doses que vão circular pelas ruas de Jacarta, para distribuir vacinas às populações mais frágeis. O alvo são as comunidades mais marginalizadas, mas também escolas e estudantes com idades entre 12 e 17 anos.

A Indonésia conta atualmente com 3,5 milhões de infetados pelo novo coronavírus e mais de 98 mil óbitos.

Devido à variante Delta, que se difundiu sobretudo na Ásia, registou-se um grande aumento de casos de contágio, sobretudo entre as camadas mais jovens da população.

Na Indonésia já foram administradas quase 70 milhões de vacinas contra a Covid-19, mas apenas 8% da população está imunizada com as duas doses.

A pandemia de Covid-19 fez pelo menos 4.247.424 mortos em todo o mundo, entre mais de 200,1 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, desde que a OMS detetou a doença na China, em finais de dezembro de 2019, segundo o balanço da AFP com base em dados oficiais.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.422 pessoas e foram registados 979.987 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+