Tempo
|
A+ / A-

Vaticano confirma. Francisco “reagiu bem à intervenção"

04 jul, 2021 - 22:56 • Aura Miguel com redação

Presentes estiveram 10 médicos. Esta foi a primeira hospitalização conhecida do Papa desde que foi eleito para líder máximo da Igreja Católica, em 2013.

A+ / A-

O Papa “reagiu bem à intervenção” cirúrgica a que foi submetido este domingo.

A operação, com anestesia geral, decorreu “ao início da noite”, acrescenta o Vaticano num curto comunicado.

A acompanhar o Santo Padre estiveram 10 médicos: Prof. Sergio Alfieri, que realizou a cirurgia com a assistência do Prof. Luigi Sofo, do Dr. Antonio Tortorelli e da Dra. Roberta Menghi. A anestesia foi realizada pelo Prof. Massimo Antonelli, pela Prof. Liliana Sollazzi e pelos médicos Roberto De Cicco e Maurizio Soave. Estavam também presentes no bloco operatório o Prof. Giovanni Battista Doglietto e o Prof. Roberto Bernabei.

Sergio Alfieri tem 55 anos e é o diretor principal de Cirurgia Digestiva do Hospital Gemelli desde 1996. Em 2020, foi nomeado diretor da Assistência de Saúde do Vaticano pelo Papa.

Esta é a primeira vez que Francisco é internado desde que assumiu o Pontificado. No passado, foi operado aos pulmões e à vesícula.

Tudo indica que Francisco está no 10.º andar, no mesmo quarto onde esteve o Papa João Paulo II várias vezes. O aceso ao piso está rigorosamente controlado pela polícia italiana e pela segurança do Papa.

Segundo o canal de tv italiano TG24, o internamento deverá durar cinco dias, mas a notícia não foi ainda confirmada pelo Vaticano.

Aos 84 anos, o Papa realizou uma “estenose diverticular sintomática do cólon”. Francisco deu entrada neste domingo na Policlínica Gemelli, em Roma.

A cirurgia já estava programada, indica a comunicação da Santa Sé.

Nesta segunda-feira, é esperado novo boletim clínico sobre o estado de saúde do Papa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+