Tempo
|
A+ / A-

Surpresa. Papa Francisco celebra missa na casa do cardeal que demitiu em setembro

01 abr, 2021 - 22:52 • Aura Miguel

O cardeal foi afastado do seu cargo, vendo os seus privilégios retirados, em setembro de 2020.

A+ / A-

Nesta Quinta feira Santa, ao contrário do habitual, Francisco não presidiu à missa da Ceia do Senhor. Oficialmente, a missa (sem o tradicional lava-pés por causa das restrições Covid) foi celebrada pelo cardeal decano, Giovanni Battista Re, na basílica de São Pedro.

O que fez o Papa no início do Tríduo pascal viria a ser revelado ao início da noite: Francisco foi celebrar a Missa da Ceia do Senhor na capela privada da casa do cardeal Angelo Becciu, a quem há seis meses, o próprio Papa retirou todos os direitos cardinalícios devido a escândalos financeiros, cujos processos ainda decorrem.

A 24 de setembro de 2020, numa breve audiência, o Papa impôs ao então Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos a renúncia à condução do dicastério a que presidia e, sobretudo, aos direitos e prerrogativas inerentes ao cardinalato.

Em causa, um conjunto de negócios e investimentos pouco claros, realizados pela Secretaria de Estado do Vaticano, na época em que Becciu coordenava esses fundos e movimentos financeiros. E também a suspeita de este cardeal ter desviado sucessivas verbas para instituições relacionadas com a sua família na Sardenha.

O portal “Vatican News”, numa curta informação, refere que se tratou de “um compromisso privado” e que, “além do cardeal e das religiosas que o auxiliam, estavam presentes algumas focolarinas (do movimento Focolares)”.

Por sua vez, o jornal “L’Unione Sarda” acrescenta que “Sua Santidade e o Cardeal Becciu, novamente juntos, se abraçaram” e que o cardeal sardo estava “contente e emocionado” com este “gesto de paternidade de Francisco, realizado num dia tão significativo como este”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+