Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

Vaticano pode sancionar com demissão quem não quiser ser vacinado contra a Covid-19

18 fev, 2021 - 18:20 • Lusa

O Vaticano lançou uma campanha de vacinação em janeiro entre seus quase 800 residentes e os seus mais de 3.000 funcionários e suas famílias.

A+ / A-

Veja também:


O Estado do Vaticano advertiu os seus funcionários que se recusarem a ser vacinados contra o coronavírus podem ter consequências como a demissão, por estarem a "colocar em risco a saúde pública".

O presidente da Comissão Pontifícia do Estado da Cidade do Vaticano, Giuseppe Bertello, assinou um decreto com medidas para enfrentar a emergência de saúde pública, no qual explica que haverá sanções económicas para quem não cumprir essas normas, entre as quais a vacinação.

Se os funcionários persistirem na intenção de não serem vacinados, é possível que possam perder o vínculo de emprego.

O Vaticano lançou uma campanha de vacinação em janeiro entre seus quase 800 residentes e os seus mais de três mil funcionários e suas famílias.

As sanções previstas no Artigo 6 referem-se a uma lei do Vaticano de 2011, que já previa que os funcionários do Vaticano que não se submetessem a "exames médicos oficiais" teriam consequências que poderiam ir até ao término da relação contratual de trabalho.

Tanto o Papa Francisco, 84 anos, quanto o Pontífice Emérito Bento XVI, 93 anos, receberam a segunda dose da vacina contra o coronavírus e estão imunizados.

A Diretoria de Saúde e Higiene da Cidade do Vaticano reservou cerca de 10.000 vacinas da empresa farmacêutica Pfizer para sua campanha de vacinação, que começou em 13 de janeiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Santos
    19 fev, 2021 Tojal 14:24
    O Vaticano tem tudo menos FÉ em Deus e ainda menos esperança. O corona-vírus não é mais que a simples gripe anual. Causa mortes porque os meios de comunicação social, a toda a voz, infundiu medo, medo que destrói as defesas humanas ao vírus. O Vaticano, outrora baluarte da Fé em Deus, hoje não faz mais que destruir a esperança. Confia mais na vacina que em Deus.

Destaques V+