Tempo
|
A+ / A-

Moçambique

Papa discute situação de Cabo Delgado com o bispo de Pemba

18 dez, 2020 - 16:35 • Filipe d'Avillez

Centenas de pessoas já morreram e milhares estão deslocadas devido à ação de um grupo fundamentalista islâmico do qual pouco se sabe ao certo, mas que terá ligações ao autoproclamado Estado Islâmico.

A+ / A-

O Papa Francisco recebeu esta sexta-feira em audiência o bispo D. Luiz Fernando Lisboa, bispo de Pemba, em Moçambique.

A diocese de Pemba abrange o território de Cabo Delgado, onde ao longo dos últimos anos se tem verificado atividade terrorista, de natureza jihadista, e que se tem agravado substancialmente ao longo dos últimos meses.

Centenas de pessoas já morreram e milhares estão deslocadas devido à ação de um grupo fundamentalista islâmico do qual pouco se sabe ao certo, mas que terá ligações ao autoproclamado Estado Islâmico.

O teor da conversa entre o Papa Francisco e D. Luiz Fernando não foi tornado público, mas a audiência reforça a preocupação do Papa por esta situação, que já tinha sido referida publicamente por Francisco em agosto, quando manifestou a sua consternação por sucessivos ataques. Ainda este mês o Papa doou 100 mil euros à diocese de Pemba para ajudar a Igreja local a lidar com a crise gerada pela instabilidade.

O Bispo de Pemba foi recentemente recebido também no Parlamento Europeu e tem pedido ajuda internacional para resolver a crise em Moçambique. O Parlamento Português tem acompanhado a situação de perto e o Ministro dos Negócios Estrangeiros vai encabeçar uma missão da União Europeia ao terreno dentro das próximas semanas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+