Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Santuário de Fátima vai despedir devido à quebra do número de peregrinos

02 set, 2020 - 09:09 • André Rodrigues , Marta Grosso

Está em curso um plano de reestruturação devido à queda abrupta nas receitas causadas pela pandemia de Covid-19. Recinto tem 308 funcionários.

A+ / A-

O Santuário de Fátima prepara-se para despedir até 50 trabalhadores. A indicação é confirmada nesta quarta-feira à Renascença pela porta-voz do recinto, na sequência da notícia inicialmente avançada pela TVI.

Face às quebras no número de peregrinos, o Santuário conversou com os funcionários e “deu-se-lhes a possibilidade de refletirem sobre a sua situação contratual de forma voluntária”, explica Carmo Rodeia.

“É prematuro falarmos em números para a redução de postos de trabalho, mas no final do processo julgo que não chegará a meia centena”, acrescenta.

A porta-voz do Santuário de Fátima explica que, “entre o dia 13 de março e o dia 30 de maio, o Santuário não teve peregrinos” e que, com o desconfinamento, “tivemos, nos meses de junho, julho e agosto, quebras nos grupos organizados superiores a 95%”.

“Com o adensar destas projeções que revelam que o fim da pandemia não será tão breve quanto o que desejaríamos, o Santuário decidiu implementar este plano de reestruturação”, conclui.

Atualmente, o Santuário de Fátima tem 308 trabalhadores. As propostas de rescisão amigável podem ser apresentadas até dia 15 de setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Silva
    02 set, 2020 Lisboa 19:49
    O grupo Renascença fecha uma rádio para os mais vulneráveis e despede pessoas, Fátima despede pessoas. Porque não despedir estes padres e bispos? Mentiroso e hipócritas. Quando pedirem esmolas para ajudar, pensem que foram os primeiros a fazer a vida negra aos que vos estavam mais próximos. Vergonha.
  • Filipe
    02 set, 2020 évora 16:55
    O Vaticano já esturrou as reservas de ouro oferecidas por Hitler para permitir a autorização do extermínio de Judeus ... contem a verdade sobre a WW2 para o Mundo saber quem foram os maus .

Destaques V+