Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Padre católico distribui máscaras em favela da Amazónia

21 mai, 2020 - 19:47 • Cristina Branco com Reuters

O Padre Alfredo Avelar decidiu fazer as máscaras com as próprias mãos e ir distribuí-las porta a porta numa das mais lotadas e degradadas favelas de Manaus, a maior cidade da Amazónia. Algumas das máscaras têm estampada uma imagem da Virgem Maria.

A+ / A-

Veja também:


Com o coronavírus a espalhar-se rapidamente nas zonas mais pobres da maior cidade da Amazónia – Manaus - um padre local decidiu começar a fazer máscaras e distribuí-las pela sua paróquia.

O padre Alfredo Avelar distribui máscaras de porta em porta em Educandos, uma favela lotada na cidade brasileira, onde 16 mil pessoas vivem em casas precárias de madeira, sem saneamento básico, na encosta de uma colina ou sobre palafitas por cima de um rio repleto de lixo e água de esgoto.

"A situação é muito delicada. Há pessoas a morrer nas suas casas por falta de camas hospitalares", contou o padre, de 33 anos, na sua igreja, na paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

O sistema hospitalar em Manaus ficou sem unidades de cuidados intensivos e o número crescente de mortes obrigaram o cemitério da cidade a recorrer a sepulturas coletivas.

Mais de 50% dos habitantes de Manaus vivem em casas inadequadas, de acordo com a agência de estatísticas brasileira IBGE.

O padre e seus ajudantes da igreja fazem as rondas por becos estreitos de tábuas de madeira, distribuindo máscaras colocando-as nas portas para os casais idosos confinados.

Algumas das máscaras, feitas em tecido azul e branco, têm estampada uma imagem da Virgem Maria.

Na quarta-feira, o Brasil registou 888 mortes e 19.951 casos positivos do novo coronavírus em 24 horas, informou quarta-feira o Ministério da Saúde do país.

No total, o Brasil tem 291.579 casos diagnosticados e 18.859 óbitos provocados pela covid-19, doença diagnosticada no país pela primeira vez em 26 de fevereiro.

A pandemia de Covid-19 já afetou mais cinco milhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com a contagem independente da Universidade norte-americana Johns Hopkins, há agora cerca de 2,8 milhões de casos ativos de infeção pelo novo coronavírus.

Quase dois milhões dos casos confirmados já recuperaram e cerca de 328 mil infetados acabaram por morrer. Os Estados Unidos são o país que regista mais vítimas mortais por Covid-19 (93.439), seguido do Reino Unido (35.786), Itália (32.330), França (28.135) e Brasil (18.859).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+