Tempo
|
A+ / A-

Visita a Madagáscar

Papa pede aos jovens para não se perderem em ilusões e serem construtores do futuro

07 set, 2019 - 16:49 • Aura Miguel , com redação

"Através de vós, entra o futuro em Madagáscar e na Igreja", disse Francisco aos milhares de jovens presentes no Campo Diocesano de Soamandrakizay, pedindo-lhes para não terem "medo de meter as mãos na massa".

A+ / A-
Papa em Madagáscar. “Jesus pede para não termos medo de meter as mãos na massa”
Papa em Madagáscar. “Jesus pede para não termos medo de meter as mãos na massa”

A vigília dedicada aos jovens, no Campo Diocesano de Soamandrakizay, em Madagáscar, começou em ambiente de festa, com música e dança. Na sua intervenção, Francisco desafiou-os a não se deixarem encantar por alegrias fáceis e vozes que os querem anestesiar.

Segundo o Papa, podemos extraviar-nos correndo atrás de ilusões que prometem uma “alegria rápida, fácil e imediata”, mas que nos deixam o coração e a alma a meio caminho. “Estas ilusões que nos seduzem, quando somos jovens, com promessas que nos anestesiam, tiram-nos a vitalidade, a alegria, tornam-nos dependentes e fecham-nos num círculo aparentemente sem saída e cheio de amargura. Uma amargura que vos faz exclamar: «É assim! Nada pode mudar e ninguém pode fazer nada por nós».”

Francisco reconhece que as dificuldades do dia a dia são muitas: quando as oportunidades de estudar são escassas; falta trabalho; há precariedade e injustiças sociais. Mas pede aos jovens para não desistirem.

“O Senhor é o primeiro a dizer: Não! Este não é o caminho. O Senhor chama-nos pelo nosso nome e diz-nos: «segue-Me!» Não para nos fazer correr atrás de ilusões, mas para transformar cada um de nós em discípulo-missionário aqui e agora”, afirmou.

O Papa convidou os jovens a refutar as vozes que os querem domesticar, anestesiar ou reduzir ao silêncio. “Com Jesus, há sempre novos horizontes. Ele quer transformar-nos a todos e fazer da nossa vida uma missão. Mas pede para não termos medo de meter as mãos na massa.”

Aos jovens pediu coragem para vencerem a apatia e enfrentarem os problemas. “Através de vós, entra o futuro em Madagáscar e na Igreja. O Senhor é o primeiro a ter confiança em vós; e convida-vos também a terdes confiança em vós mesmos, nas vossas aptidões e capacidades.”

“É o Senhor que vos convida a ser os construtores do futuro, contribuindo para ele como só vós podeis fazer com a alegria e o frescor da vossa fé”, sublinha.

Quase a terminar, o Papa pediu aos jovens para não serem aventureiros solitários. “Sozinhos podemos fazer grandes coisas, sim; mas juntos podemos sonhar e comprometer-nos com coisas inimagináveis.”

Esta deslocação acontece 30 anos depois da passagem de São João Paulo II pela ilha. Em Madagáscar, um dos países mais pobres do mundo, a maioria da população (75%) vive com menos de dois euros por dia.

A quarta viagem do Papa a África passa ainda pela Maurícia, na segunda-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+