Tempo
|
A+ / A-

Papa denuncia "crime vergonhoso" do tráfico de pessoas

29 jul, 2018 - 11:53

Papa Francisco pediu ainda que não se fique indiferente perante a fome no mundo e pediu que não se deita fora a comida que sobra.

A+ / A-
Papa apela à ação contra o tráfico humano e exploração laboral e sexual
Papa apela à ação contra o tráfico humano e exploração laboral e sexual

O Papa associou-se este domingo à Jornada Mundial contra o Tráfico de Pessoas, promovida pela ONU esta segunda-feira, denunciando o que qualificou como “crime vergonhoso”.

“Esta chaga reduz à escravatura muitos homens, mulheres e crianças, com o objetivo de exploração laboral e sexual, do comércio dos órgãos, a mendicidade e a delinquências força. Também aqui, em Roma”, disse, desde a janela do apartamento pontifício, no Vaticano.

Perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, para a recitação do ângelus, Francisco advertiu que as rotas migratórias são muitas vezes utilizadas por “traficantes e exploradores” para recrutar novas vítimas.

“É responsabilidade de todos denunciar as injustiças e combater com firmeza este crime vergonhoso”, apelou.

No Vaticano, o Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral vai promover uma campanha de sensibilização nas redes sociais, com a hashtag #EndHumanTrafficking.

A campanha denuncia uma “tragédia de proporções planetárias”, apontando o dedo a uma “indústria” que fatura “150 mil milhões de dólares em todo o mundo.

“O lucro da escravidão tem de parar agora! Esses corpos não estão à venda”, assinala a mensagem de lançamento da iniciativa.

O organismo da Santa Sé pede que todos ajudem a “sensibilizar” a opinião pública sobre “um problema negligenciado”.

Desperdício alimentar. “Nunca se deita fora a comida que sobra”

Partindo do episódio evangélico da “multiplicação dos pães”, o Papa Francisco alertou ainda para o problema da fome e do desperdício alimentar.

“Perante o grito de fome - todo o tipo de fome - de tantos irmãos e irmãs de toda a parte do mundo, não podemos permanecer espectadores distantes e tranquilos. O anúncio de Cristo, pão de vida eterna, exige um empenho generoso de solidariedade pelos pobres, fracos, últimos e indefesos. Esta acção de proximidade e de caridade é a melhor verificação a qualidade da nossa fé, quer a nível pessoal, quer a nível comunitário”, lembrou Francisco.

Por isso, Francisco pediu que “nunca se deita fora a comida que sobra”.

Na sua reflexão dominical, o Papa sublinhou que os católicos são chamados a ouvir os “pedidos mais simples das pessoas” e a colocar-se ao seu lado, para que depois possam ser ouvidos quando falam de “valores superiores”.

“Rezemos à Virgem Maria, para que no mundo prevaleçam os programas dedicados ao desenvolvimento, à alimentação, à solidariedade, e não os do ódio, do armamento e da guerra”, concluiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+