Tempo
|
A+ / A-

Papa preocupado com regresso da violência à República Centro-Africana

01 nov, 2015 - 11:09 • Filipe d'Avillez

Francisco mantém a intenção de viajar para o país no final do mês, onde inaugurará a porta santa da catedral de Bangui.

A+ / A-
Papa preocupado com regresso da violência à República Centro-Africana
Papa preocupado com regresso da violência à República Centro-Africana

O Papa Francisco fez este domingo um apelo à paz na República Centro-Africana, país que irá visitar no fim do mês de Novembro.

No final da oração do Angelus, na praça de São Pedro, em Roma, o Papa lamentou que a situação naquele país se tenha exacerbado e mostrou-se próximo da Igreja local.

“Os dolorosos episódios que nos últimos dias exacerbaram a delicada situação da República Centro-Africana suscitam na minha mente vivas preocupações. Faço um apelo às partes em confronto para que ponham fim a este ciclo de violência”, disse Francisco.

A República Centro-Africana está envolvida em conflitos há alguns anos, nomeadamente entre milícias da minoria muçulmana e da maioria cristã. As divisões são não só religiosas mas também étnicas.

“Sinto-me espiritualmente próximo dos padres combonianos da paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Bangui, que acolhem numerosos deslocados e exprimo a minha solidariedade com a Igreja, com as outras confissões religiosas e toda a nação centroafricana, duramente posta à prova para fazer todos os esforços para superar a divisão e regressar aos caminhos da paz”, disse o Papa.

Francisco sublinhou ainda a sua intenção de viajar até Bangui, a capital do país, para abrir a porta santa da catedral, a propósito do jubileu da misericórdia, e exortou os habitantes do país a serem “sempre testemunhas da misericórdia e da reconciliação”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+