Tempo
|
A+ / A-

FC Porto

Francisco J. Marques ao ataque. "Luís Godinho ofereceu dois pontos ao Benfica"

10 abr, 2018 - 23:23

Diretor de comunicação dos azuis e brancos não poupa juiz eborense, que considera ter tudo para "ficar ligado à decisão do campeonato".

A+ / A-

O diretor de comunicação do FC Porto acusou o árbitro Luís Godinho de ter "oferecido dois pontos ao Benfica", afirmando que o "critério" desnivelado do árbitro de Évora contribuiu ativamente para o triunfo tardio e dramático dos encarnados diante do Vitória de Setúbal (1-2), no Bonfim.

Francisco J. Marques não poupou o juiz, esta terça-feira, durante a habitual presença no programa "Universo Porto da Bancada", do PortoCanal, considerando que Godinho tem tudo para "ficar ligado à decisão do campeonato".

"Luís Godinho ofereceu, pelo menos, dois pontos ao Benfica", disparou o "homem forte" da comunicação azul e branca, concluindo que a avaliação é "clara e evidente" quanto aos critérios que o alentejano tem, em jogos distintos.

"O árbitro Luís Godinho tem dois critérios. Um nos jogos e jogadas do Benfica e um outro critério para as outras equipas. É especialmente grave porque coloca um carimbo muito grave. Trata-se de um árbitro muito jovem, salvo erro 31 anos, que até tem qualidade para se conseguir libertar destas amarras ao Benfica, Este ano pode ficar ligado à decisão do campeonato. Foi arbitrar o Sp. Braga-Sporting e deixou por assinalar um penálti sobre Bas Dost muito mais claro do que o outro que assinalou no Bonfim. Depois expulsou o Piccini, por segundo amarelo, em lance muito menos grave que as entradas do Rúben Dias. Luís Godinho tirou oSporting da luta do título, levando a que se atrasasse. O Benfica estava empatado no Bonfim, perdoou amarelos a Fejsa, Jardel e Rúben Dias, neste caso com um segundo amarelo que retirava do jogo e do clássico. Depois marcou um penálti mais do que duvidoso a favor do Benfica. Mais do que outros lances em jogos do FC Porto com Moreirense ou Tondela. Onde não apitou. Há claramente um critério", atirou Francisco J. Marques, para quem o clássico de domingo, frente ao Benfica, na Luz, "vai começar já manchado".

E isto porque "Jardel, Rúben Dias e Fejsa não deviam jogá-lo", apontou. "Deviam estar a cumprir castigo. Se Godinho usasse o mesmo critério, com Fejsa a saltar com o cotovelo e a ver cartão amarelo, se calhar os outros já não faziam aquele tipo de faltas e não paravam ataques do V. Setúbal. Isto tem de facto influência", sustentou.

"Campeonato continua a ser demasiado decidido pelos árbitros"

Francisco J. Marques rematou, finalmente, com uma espécie de análise que tem vindo a defender, nos últimos meses.

"Infelizmente, o campeonato português continua a ser demasiado decidido pelos árbitros", lamenta, voltando a apontar baterias ao juiz do polémico Vitória-Benfica.

"As decisões de Luís Godinho refletem-se na jornada seguinte. Há três jogadores que não jogavam. Assim beneficia um competidor. É algo que está a acontecer há demasiado tempo. Erros que afetam a verdade desportiva têm de ser punidos com especial severidade", completou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+