Tempo
|
A+ / A-

IVA zero: dia a dia

"IVA Zero" nos alimentos essenciais já está em vigor. Veja aqui como os preços se estão a comportar

18 abr, 2023 - 07:30 • Salomé Esteves

Há 46 alimentos que, em teoria, vão ficar mais baratos. Mas como é que os preços da comida vão reagir exatamente ao IVA Zero?

A+ / A-

A medida que coloca 46 produtos essenciais com IVA Zero entrou esta terça-feira em vigor. Mas as compras de muitas famílias podem não incluir todos os produtos na lista do Governo e abarcar muitos outros.

Com a instabilidade que se tem sentido no preço dos alimentos nos últimos meses, ficamos com muitas questões por apurar: os 46 produtos na lista do Governo vão mesmo ficar mais baratos? E será que retirar o IVA destes produtos vai afetar outros?

Acompanhe-nos todos os dias e descubra connosco como vão evoluir os preços de um conjunto de produtos alimentares com e sem IVA Zero.

Veja na tabela as alterações mais recentes aos preços. Entre 18 e 19 de abril, não houve mudanças. O mesmo aconteceu no dia 20, quinta-feira. Contudo, alguns produtos do nosso cabaz começaram a ficar indisponíveis, como o tomate rosa e o peito de frango.

A 21 de abril, um único produto baixou de preço: um frasco de 500 grs. de polpa de tomate desceu de 1.63 euros para 1.23 euros. Mas todos os outros preços se mantiveram iguais. Neste dia, Os produtos que estavam indisponíveis na quinta-feira, voltaram a estar em stock, mas o melão verde não estava disponível.

A 26 de abril já se notaram ligeiras variações. O fiambre encareceu 60 cêntimos e a pesacada, 13.

Não foi possível adquirir filetes de cavala desde a aplicação da medida.

Duas semanas depois: produtos mais caros, mas um cabaz mais barato

Enquanto alguma comunicação sugeria que os comerciantes teriam 15 dias para aplicar o IVA zero, a lei não referia este período de adaptação. Ainda assim, a ASAE só iniciará a fiscalização da correta aplicação da medida após a primeira semana de maio.

Duas semanas depois da entrada em vigor do IVA zero numa seleção de produtos essenciais, 15 dos 60 alimentos do cabaz da Renascença estavam mais caros e oito, mais baratos. Apesar disso, o cabaz custou um total de 187.65 euros e está três euros mais barato do que a 18 de abril.

A 2 de maio, foram os douradinhos de pescada que mais aumentaram, passando de 7.10 euros para 15.79 euros.

A pescada de alto mar ficou disponível pela primeira vez da aplicação da medida, com o preço mais baixo desde 8 de março: 23.75 euros por quilo.

Por outro lado, vários produtos continuam indisponíveis. Os produtos repetem-se e são maioritariamente proteínas animais: cavala fresca, novilho para estufar, bifes de perú, peito frango e melão verde.


Em janeiro, a Renascença criou um cabaz de 33 alimentos para ver como os preços da comida estavam a entrar no novo ano. Descobrimos, que entre novembro e março, mais do que subir, os preços oscilavam constantemente.

A estes 33 produtos, baseados na roda dos alimentos, já tínhamos acrescentado 10 que constam no cabaz de bens essenciais da DECO, como o café ou a polpa de tomate, e alimentos adequados a vegetarianos e vegans, como o tofu e a bebida de soja.

Com a publicação da lista de alimentos que terão a redução do imposto sobre o valor acrescentado, acrescentamos 17 novos produtos: nove hortícolas, uma fruta, seis proteínas animais e óleo. Nestes alimentos não existe a monitorização de preços desde novembro, como acontece nos restantes, mas apenas desde fevereiro.

Outra exceção neste grupo é o óleo alimentar, que é o único que tem, atualmente, um IVA de 13%.

Da lista que a Renascença está a monitorizar a partir de agora, que contém 60 produtos, 46 têm IVA Zero.

Esta medida faz parte de um pacote de apoio às famílias e estará em vigor, pelo menos, até outubro.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paulo Correia
    16 jun, 2023 Lisboa 10:22
    Bom dia, gostaria que me mandassem por email o cabaz sem iva, diariamente. Obrigado.

Destaques V+