Tempo
|
A+ / A-

Costa diz que "não há condições" para devolver tempo de serviço aos professores

16 fev, 2023 - 21:29 • Ricardo Vieira

Primeiro-ministro argumenta que "se dessemos todo o tempo perdido significaria 1.300 milhões de euros de despesa permanente todos os anos".

A+ / A-

Portugal não tem condições para devolver o tempo de serviço aos professores, afirma o primeiro-ministro, António Costa, em entrevista à TVI.

António Costa argumenta que "se dessemos todo o tempo perdido significaria 1.300 milhões de euros de despesa permanente todos os anos".

"Não vejo que o país tenha condições para acrescentar 1.300 milhões de euros de despesa permanente para todo o sempre", declarou o primeiro-ministro, sobre uma das principais reivindicações dos docentes.

Os sindicatos de professores reivindicam a recuperação dos 6 anos, 6 meses e 23 dias de tempo de serviço cumprido e não contabilizado para efeitos de carreira.

António Costa entende a contestação no setor da Educação, mas afirma que a sua "obrigação não é chegar a acordo com os sindicatos, é resolver os problemas dos professores e do país".

O primeiro-ministro afirma que "a classe dos professores acumulou 15 anos de frustração" e sublinha que o Governo "não é insensível" à questão da progressão na carreira.

Nesta entrevista à TVI, António Costa detalhou as novas medidas do Governo para tentar combater a crise no acesso à habitação.

O primeiro-ministro esclareceu que as casas subarrendadas pelo Governo aos senhorios vão ser depois sorteadas para os inquilinos, "por uma questão de Justiça".

António Costa refere que o Estado pagará a renda ao senhorio e depois fará um concurso para subarrendar as propriedades.

"Há muitas casas, mais de 700 mil, que estão desocupadas. Desse universo, há casas de diferentes tipologias e situações. Muitas vezes os senhorios não têm confiança no mercado para colocarem as casas no mercado. É importante dar uso a estas casas", defende.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vejam o polígrafo
    17 fev, 2023 poiligrafo 19:16
    Vejam o polígrafo onde as aldrabices do Costa estão desmascaradas
  • Ana Maria
    17 fev, 2023 Silves 13:07
    Antes da tomada de posse prometeu devolver de modo faseado, o tempo que nos roubaram, 6 anos, 6 meses, 23 dias. Não falando no tempo de congelamento nos escalões! Vergonhoso! Para injetar milhões na TAP, nos Bancos, na Habitação há milhões, isso sim! Nunca cortaram nos seus próprios vencimentos milionários. Está tudo a favor destes gatunos que se servem do nosso dinheiro!
  • Petervlg
    17 fev, 2023 Trofa 08:33
    é o tipo de gente que temos a governar, o povo é que escolheu. o PS e PSD roubaram os professores e não querem devolver, o que é por direito dos trabalhadores, se o Ministério da Educação tivesse a designação de TAP ou BES já tinham lá metido o nosso dinheiro, dava para os políticos, principalmente do PS irem buscar, indemnizações ou prémios. É uma vergonha o que António Costa esta a fazer, se tivéssemos um Presidente da Republica, correto, já tinha obrigado o governo a regularizar a situação ou demitia António Costa. Não tem dinheiro e estão a candidatar-se a fazer um mundial de 2030, Antonio Costa vai gozar com o c...., mas isso é o que este governante faz.
  • Uma farsa
    17 fev, 2023 Nada mais 08:25
    Entrevistas sem contraponto e sem ninguém a desmentir, são ótimas não é ? Então eram 330 milhões e agora a "conta" já vai em 1300? Bem, mesmo assim é menor que os 2 000 milhões para a CP, os muitos milhões para esses contratos-escandalo das PPP's, os 3 200 Milhões para a TAP, as indemnizações milionárias, os 25 000 milhões para salvar a banca privada... por aí fora. E é mentira que "as outras classes exijam o mesmo": as outras classes ou já o têm ou estão a recuperar o "mesmo", por fases. A manipulação do Costa foi mais que evidente - então aquela parte de que se devolvesse o tempo de serviço não havia para pagar reformas aos "velhinhos", logo ele que os roubou descaradamente, essa brada aos céus - e embora toda a gente já o conheça de outros Carnavais e já não vá nas balelas dele, convém desmontar esta argumentação. Deve ser exigido o Direito de Resposta a todos os órgãos de Comunicação Social que exibiram esta farsa, esta manipulação, travestida de “entrevista”.

Destaques V+