Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Incompatibilidade do Ministro da Saúde

Polémica com Pizarro? “Estamos a abusar da palavra casos”, diz Costa

05 out, 2022 - 14:00 • Tomás Anjinho Chagas

Primeiro-ministro desvaloriza a polémica em torno do conflito de interesses de Manuel Pizarro. Sobre os recados de Marcelo responde diretamente e diz que o Governo “não fala”, mas “resolve problemas”.

A+ / A-

Foi a primeira vez que António Costa foi confrontado com o caso do Ministro da Saúde, que ainda é sócio-gerente de uma empresa na área que tutela. O primeiro-ministro acredita que “estamos a abusar da palavra casos”, e garante que já está a ser feito o “ajustamento” para acabar com o conflito de interesses.

“Estamos a abusar da palavra casos. Uma pessoa que tem a sua atividade e um dia vem para o Governo, tem de deixar de exercer um conjunto de atividades”, desvaloriza António Costa, que depois deu vários exemplos.

“As pessoas com contrato de trabalho, de um dia para o outro deixam esse contrato. Há pessoas que são deputadas e, de um dia para o outro, deixam de ser deputadas”, simplifica o chefe de Governo, à margem das cerimónias do 5 de outubro, na Câmara Municipal de Lisboa.

Do abstrato para o concreto, Costa sublinha que no caso de Manuel Pizarro, “quem tem uma sociedade comercial, precisa de uma ou duas semanas para fazer o ajustamento, como o Ministro da Saúde já anunciou que o vai fazer”.

Após a insistência dos jornalistas, o primeiro-ministro foi mais taxativo: “Não, não é um caso. É um problema que acontece naturalmente a qualquer pessoa que exerce uma atividade privada e tem de deixar de exercê-la”.

O chefe de Governo acrescenta que os timings são diferentes consoante a atividade profissional em causa. “Há umas que se pode fazer num minuto, há outras que leva duas semanas”. E sentencia que este tema “não fragiliza” o novo Ministro da Saúde.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    05 out, 2022 Leiria 14:36
    Boa tarde. É preciso ter "lata". Não, resolvia o problema e depois tomava posse. Esta "desvalorização" da Lei por parte de um primeiro-ministro, é no mínimo lastimável..........

Destaques V+