Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Costa Silva diz que está “habituado a ter razão antes do tempo”

28 set, 2022 - 18:32 • Tomás Anjinho Chagas , Rosário Silva

O ministro da Economia viu-se envolvido em controvérsia, depois de ter revelado que o Governo, para responder à crise, estava a preparar uma redução “transversal” do IRC, o que causou desconforto junto do Governo e do PS.

A+ / A-

O ministro da Economia, António Costa Silva garante que não se sente isolado no Governo e que está em sintonia com o programa do Governo e com o próprio primeiro-ministro.

Costa Silva viu-se envolvido em controvérsia, depois de ter revelado que o Governo, para responder à crise, estava a preparar uma redução “transversal” do IRC, o que causou desconforto junto de alguns colegas de Governo e do PS.

Fernando Medina, o ministro das Finanças foi a terreiro corrigir o ministro da Economia e dizer que “não seria próprio nesta fase trazermos para fora da mesa da negociação aquilo que está a ser tratado na mesa de uma negociação complexa que envolve muitos parceiros”.

Em matéria da IRC, como em tudo o resto que está a ser negociado, nomeadamente em matéria fiscal, “o Governo tem uma voz”, lembrou Medina.

Esta quarta-feira, António Costa Silva, no Parlamento, aproveitou para reafirmar as suas convicções.

“Eu não me sinto nem sozinho, nem acompanhado. Tive muitas batalhas na vida em que estive sozinho e já estou habituado a ter razão antes do tempo, o que é uma coisa que às vezes é muito difícil de sustentar”, declarou.

Costa Silva disse estar “perfeitamente tranquilo e sereno”, e esclareceu que “luto com as armas que tenho de acordo com as ideias que tenho em consonância com o programa do Governo e em articulação com o senhor Primeiro-Ministro”.

“É isso que me move”, indicou, com convicção.

O ministro da Economia foi ouvido esta quarta-feira na Comissão de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação da Assembleia da República, a requerimento do PSD, por causa dos problemas no Banco de Fomento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+