Tempo
|
A+ / A-

Descer o IRC? Governo "tem uma voz" e "não negoceia em praça pública", garante Medina

21 set, 2022 - 19:08 • Redação

Ministro das Finanças reagiu às declarações do seu colega da Economia, que defendeu publicamente uma descida transversal do IRC. Sem entrar em confronto com António Costa Silva, Fernando Medina admitiu que "não seria próprio trazemos para fora da negociação aquilo que está a ser tratado na mesa das negociações”.

A+ / A-

O ministro das Finanças assegurou esta quarta-feira que "o Governo tem uma voz" em matéria fiscal e remeteu eventuais alterações ao IRC para as negociações com os parceiros sociais.

Fernando Medina respondeu desta forma ao ministro da Economia, António Costa Silva, que defendeu uma descida transversal deste imposto.

"Em matéria de IRC, como toda a matéria do acordo, o Governo tem uma voz. A voz que é definida coletivamente, a voz do primeiro-ministro e, naturalmente, a voz dos ministros que participam numa negociação e que, na minha opinião, eu, pelo menos, irei reservar-me para o final da negociação para falar sobre o assunto", disse Medina.

“Governo não negoceia em praça pública”

Em declarações aos jornalistas, o ministro das Finanças não concretizou quais as medidas que estão, neste momento, em cima da mesa no acordo de rendimentos e competitividade.

"Só há acordo quando a última matéria estiver acordada e houver acordo sobre tudo. Antes disso, não me pronunciarei sobre medidas concretas", sublinhou o ministro.

Perante a insistência dos jornalistas sobre futuras alterações no plano fiscal, Medina referiu que "estão em discussão aberta pelos parceiros sociais" e que "é prematuro antecipar quais, onde, em que escala, em que duração. Isso é uma matéria que, neste momento, está, como deve estar, na mesa das negociações e não na praça pública.

O Governo não negoceia na praça pública", rematou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+