Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Universidade de Verão do PSD

Paulo Rangel acusa Governo de colocar tutela da Saúde e o país “em lista de espera”

02 set, 2022 - 11:58 • Tomás Anjinho Chagas

Vice-presidente do PSD considera que o executivo “está em falência” e critica a demora de Costa a substituir Marta Temido.

A+ / A-

Paulo Rangel, vice-presidente e eurodeputado do PSD, critica esta sexta-feira António Costa pela forma como está a gerir a demissão da ministra da Saúde, Marta Temido.

Depois de o primeiro-ministro ter dito que só vai nomear o próximo (ou próxima) ministro da tutela dentro de duas semanas, o eurodeputado considera que o país e o sucessor de Temido estão “em lista de espera”.

“Esta senhora pede a demissão, o primeiro-ministro aceita a demissão e o que é que faz ao Ministério da Saúde? Põe-no em lista de espera. As listas de espera do Serviço Nacional de Saúde (SNS) passaram para o Governo. O próprio Governo tem um ministro da Saúde em lista de espera”, atira Paulo Rangel.

Medina e Sérgio Figueiredo

Na universidade de verão do PSD, a mira não foi apontada apenas aos problemas no Ministério da Saúde, mas também à pasta das Finanças e à polémica em torno da contratação do ex-jornalista Sérgio Figueiredo, com Paulo Rangel a considerar que Fernando Medina “inventou” um cargo.

O recém-eleito vice-presidente do PSD acredita que o nome de Sérgio Figueiredo para consultor do Ministério das Finanças foi barrado pela opinião pública, e, ao dispensar encontrar uma pessoa alternativa, Medina criou um “ambiente de degradação” no Governo.

“Isto era grave se fosse um presidente de Câmara. Era muito grave se fosse um ministro. Mas sendo o ministro das Finanças é gravíssimo”, disparou Paulo Rangel, justificando que a pasta implica uma relação direta com a administração pública.

O eurodeputado teceu ainda críticas à atuação de António Costa no caso do despacho contra a Endesa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+