Tempo
|
A+ / A-

Santos Silva salienta apoio do parlamento no combate às alterações climáticas

28 jun, 2022 - 21:33 • Lusa

Na sua mensagem, Augusto Santos Silva salienta que as Nações Unidas "podem contar com a Assembleia da República no apoio à implementação da agenda 2030, no combate às alterações climáticas e na preservação dos oceanos".

A+ / A-

O presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, afirmou hoje que as Nações Unidas podem contar com o parlamento português no apoio ao combate às alterações climáticas e à preservação dos oceanos.

Esta posição foi transmitida por Augusto Santos Silva após ter recebido o presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, Abdulla Shahid, encontro à margem da segunda Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, que decorre até sexta-feira na Altice Arena, em Lisboa.

"A relação entre parlamentos nacionais e as Nações Unidas é fundamental para a prossecução da paz, sustentabilidade e desenvolvimento", escreveu o ex-ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros na sua conta na rede social Twitter, após ter recebido o presidente da Assembleia Geral da ONU.

Na sua mensagem, Augusto Santos Silva salienta que as Nações Unidas "podem contar com a Assembleia da República no apoio à implementação da agenda 2030, no combate às alterações climáticas e na preservação dos oceanos".

Também esta terça-feira, na intervenção que proferiu na sessão de abertura da conferência "Economia azul sustentável - um evento paralelo no âmbito da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas -, o presidente da Assembleia da República defendeu a tese de que a economia azul sustentável pode ser um dos grandes motores do crescimento.

Falando no Centro de Congressos do Estoril, Augusto Santos Silva advogou que a economia azul sustentável é uma das grandes oportunidades de criação de riqueza do presente.

"Há uma ligação íntima entre a economia verde e a economia azul. Não conseguimos tornar mais verde a nossa economia, acelerando a transição energética, se não prestarmos atenção aos oceanos, se não combatermos a excessiva exploração dos recursos marinhos e se não tirarmos todo o partido do potencial dos oceanos", disse.

Augusto Santos Silva destacou o potencial de investimentos no mar, em projetos ligados à energia, alimentação, turismo e lazer e transportes.

Nesse sentido, considerou essencial avançar com instrumentos legais de preservação do oceano, em paralelo com a atração do investimento privado.

"A economia azul só será sustentável se for uma economia da inovação", acrescentou.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+