Tempo
|
A+ / A-

PCP faz jornadas em Setúbal em plena crise na câmara

27 jun, 2022 - 06:18 • Susana Madureira Martins

Debaixo de fogo na Câmara de Setúbal, à conta do polémico acolhimento de refugiados ucranianos por cidadãos russos na autarquia que tutela, o PCP escolhe precisamente este distrito para as primeiras jornadas parlamentares da legislatura em versão reduzida de seis deputados.

A+ / A-

Em plena polémica num dos seus bastiões autárquicos, na sequência das ligações da Câmara de Setúbal a cidadãos russos que participaram no acolhimento de refugiados ucranianos, o PCP organiza umas jornadas parlamentares que começam esta segunda-feira precisamente neste distrito.

Em boa verdade, o mais perto que os deputados do PCP irão passar do edifício da Câmara de Setúbal será a Biblioteca Municipal em plena Avenida Luísa Todi, onde os comunistas terão um encontro matinal com utentes do setor da Saúde.

Todo o restante programa é centrado na península de Setúbal, com os deputados comunistas a fazerem da Pousada de Palmela o quartel-general destas jornadas dedicadas a "travar o aumento de preços, valorizar salários e pensões, promover a produção nacional”.

Bom, mas afinal, porquê realizar as jornadas na península de Setúbal? A líder parlamentar do PCP explica que é preciso "abordar soluções para travar o aumento de preços", que é algo que tem "contribuído muito para agravar as condições de vida dos trabalhadores e do povo", para além do "aumento especulativo dos preços dos combustíveis, da energia, do gás, dos bens alimentares".

Tudo questões que têm sido levantadas pelos comunistas no Parlamento. Paula Santos refere ainda a "valorização dos salários, das pensões, fundamentais face ao aumento da taxa de inflação" ou a promoção da produção nacional e "a substituição de importações por produção nacional", ganhando assim "capacidade de soberania alimentar em bens que são absolutamente essenciais".

Depois do líder comunista Jerónimo de Sousa ter acusado o governo de António Costa de "desmantelamento" do Serviço Nacional de Saúde, as questões à volta do caos nesta área estarão também presentes "face à necessidade de se tomarem medidas para contratar e fixar profissionais", resume a líder parlamentar.

Está também prevista uma ida à Autoeuropa, em Palmela, para um encontro com trabalhadores, mas Paula Santos não se estende muito sobre qualquer uma das deslocações dos deputados nestas jornadas.

A ida à fábrica de automóveis de Palmela, que representa o maior investimento estrangeiro em Portugal é descrita por Paula Santos como "uma dessas ações" de contacto com trabalhadores durante as jornadas para "ouvir as suas preocupações", ressalvando que os deputados terão "oportunidade de falar com trabalhadores de outros sectores do concelho de Palmela".

As jornadas parlamentares contam no primeiro dia, como é habitual, com a intervenção do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, que normalmente não acompanha os restantes trabalhos dos deputados. A sessão de encerramento na terça-feira ficará a cargo da líder parlamentar Paula Santos, que deverá apresentar diversas iniciativas legislativas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+