Tempo
|
A+ / A-

Governo e sindicatos dos médicos voltam a não chegar a acordo

22 jun, 2022 - 21:57 • Redação

Noel Carrilho, da Federação Nacional dos Médicos, diz que, apesar de haver "passos positivos", na discussão de problemas estruturais, "não é suficiente para atrair os médicos para o SNS".

A+ / A-

Terminou, mais uma vez, sem acordo a reunião entre o Ministério da Saúde e os sindicatos que representam os médicos.

Aos jornalistas, à saída da reunião, o presidente da Federação Nacional dos Médicos admitiu que houve "uma abertura negocial parcial", mas continua a faltar disponibilidade do Executivo para aumentar os rendimentos base dos médicos.

"Discutiu-se a remuneração, mas em circunstâncias específicas. Isto parece-nos insuficiente, porque não inclui todos os médicos. O que nós queremos é uma valorização transversal da carreira médica", apontou.

Noel Carrilho indica que a proposta está de tal forma estruturada "que nunca conseguiríamos chegar a acordo".

E, apesar de haver "passos positivos", na discussão de problemas estruturais, "não é suficiente para atrair os médicos para o SNS".

"É preciso mais vontade política, mais investimento nesta solução. É possível, se houver vontade política", apelou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+