Tempo
|
A+ / A-

Tourada gera tensão no Parlamento. Deputado do Chega chama “hipócrita” a deputada do PAN

26 mai, 2022 - 12:59 • Manuela Pires , Marta Grosso

Bloco de Esquerda pede que o insulto pessoal não seja permitido no Parlamento. Em discussão estava a proposta do Chega de pretende baixar o IVA das atividades tauromáquicas para 6%.

A+ / A-

O debate desta quinta-feira de manhã na Assembleia da República ficou marcado por um momento de discussão tensa entre algumas bancadas por causa do Chega. O deputado Pedro Pinto defendia a redução do IVA na tauromaquia de 23% para 6%, mas não gostou da intervenção da deputada do PAN e respondeu com um insulto.

“A senhora deputada, já que gosta tanto de animais, faz-me lembrar os golfinhos. A senhora deputada sai da água, chega aqui acima, faz um pinote e volta para dentro de água. Porque, realmente, a mistura que fez... a senhora é hipócrita. Não me leve a mal, mas é”, afirmou.

“Sabe porquê? Eu vou-lhe explicar: porque eu nunca a vi nesta casa, quando um polícia é morto à porta de uma discoteca, falar nisso; nunca a ouvi falar quando morre um adepto no futebol nos festejos do campeonato nacional. A senhora é hipócrita, acabou”, exclamou.

Inês Sousa Real pediu para intervir para defesa da honra, mas o presidente da Assembleia da República, que não se apercebeu do que Pedro Pinto tinha dito, adiou tal intervenção mais para a frente.

Contudo, as palavras do deputado do Chega não passaram despercebidas ao Bloco de Esquerda, cujo líder parlamentar convidou “a mesa a escutar a intervenção do orador anterior”, Pedro Pinto, pois “o insulto pessoal não deve ser permitido nesta casa”.

E logo de seguida a bancada socialista declarou “subscrever a última intervenção do líder da bancada do Bloco de Esquerda”.

Perante tais declarações, o presidente da Assembleia, Augusto Santos Silva, interveio.

“Não consegui acompanhar a intervenção do senhor deputado. Há problemas ou de dicção ou das condições acústicas da Assembleia ou da minha própria audição. Mas, sendo assim, vou usar da faculdade que o regimento me permite e conceder de imediato o pedido de defesa da honra à deputada Inês Sousa Real”, afirmou.

A discussão durou mais de 10 minutos. Pedro Pinto defendeu que o Chega é o único partido a apoiar a tauromaquia e a caça "sem medo, sem complexos e sem preconceitos" e lançou um apelo ao PS para que largue "as amarras do extremismo do PAN e vote a favor desta proposta".

Inês Sousa Real pediu a palavra para responder que se "ter sensibilidade para com os animais é ser extremista", o partido sê-lo-á "com todo o gosto", lembrando que no passado fim de semana um jovem de 16 anos morreu numa largada nas festas da Moita, no distrito de Setúbal.

Já depois do debate, a proposta do Chega para baixar o IVA das atividades tauromáquicas voltou a ser chumbada pelos deputados com os votos contra do PS, PAN, BE e Livre, a favor de Chega e PSD e abstenções de IL e PCP.

Uma outra proposta em debate, avocada pelo PAN, para baixar o IVA para 6% em atos médico-veterinários, foi também rejeitada pelos deputados. Desta feita, o Chega votou a favor juntamente com o PAN, BE, IL e Livre, com o PS contra e as abstenções de PCP e PSD.

Os deputados analisam, nesta manhã, a proposta de Orçamento do Estado na especialidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    07 out, 2022 Lisboa 17:16
    Chega de crueldade animal! Chega de fascismo! Chega de Ventura! Chega de escumalha! Quanto ao comentador "eu", deve ter andado a fumar das pesadas.
  • EU
    27 mai, 2022 PORTUGAL 11:52
    Há uns dias atrás, li num lado QUALQUER que estavam a pensar tornar o voto, em eleições, OBRIGATÓRIO. Pois bem. Se com ESTES Políticos só vota quem quer, com o voto OBRIGATÓRIO, quase de certeza que só ELES votarão. Vejamos então. Um Jovem morreu numa largada de TOUROS. E aquele Jovem que foi MORTO e TORTURADO e lançado ao rio, também foram os TOIROS que fizeram esse serviço? Depois Senhora Deputada do PAN, ontem ficou FELIZ por ter conquistado um HOSPITAL VETERINÁRIO. Sabe ou SABIA que os Hospitais para HUMANOS estão FALIDOS? Não sabe? Olhe que EU não sou apreciador dos DEPUTADOS desta Nação, pode ter a certeza ABSOLUTA. Já reparou que MORREM mais HUMANOS por esfaqueamento humano do que por " cornadas " de animais? Devo dizer que enquanto pude fui criador de animais, bovinos, ovinos e cavalares e sempre os tratei com DIGNIDADE.

Destaques V+