Tempo
|
A+ / A-

Regionalização. Marcelo recusa "querelas de outros tempos"

14 mai, 2022 - 20:15 • Lusa

Segundo o chefe de Estado, "a sociedade portuguesa está muito assimétrica, é evidente, e está assimétrica entre as várias regiões e dentro das várias regiões".

A+ / A-

O Presidente da República considerou este sábado que a "coesão territorial é um imperativo", mas defendeu que deve ser gerida "com inteligência", para evitar "o ressuscitar de querelas e debates de outros tempos". .

"A coesão territorial é um imperativo. Tem que ser politicamente gerida com inteligência, para não criar um problema em vez de resolver um problema. A pior coisa que poderia haver era haver o ressuscitar de querelas e debates de outros tempos, não aproveitava a ninguém: nem à execução do Plano de Recuperação e Resiliência [PRR], nem à execução do Portugal 2030, nem à descentralização na sua efetiva dimensão", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa. .

O Presidente da República falava no encontro "Portugal XXI: País de futuro", que decorreu hoje na Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, também com a participação da ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, do vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, e do presidente do Portugal XXI, Hugo Nogueira.

O chefe de Estado considerou que "a sociedade portuguesa está muito assimétrica, é evidente, e está assimétrica entre as várias regiões e dentro das várias regiões".

Além da coesão territorial, Marcelo Rebelo de Sousa abordou também a coesão social, afirmando que, nesse aspeto, "os desafios passam por haver um crescimento económico sustentado, que vá criando condições para diminuir os riscos de pobreza, os riscos de precariedade, e os riscos de exclusão". .

"Há, de facto, o problema de como enfrentar, de uma maneira também o mais consensual possível, essa questão", reconheceu. .

O Presidente da República salientou que "numa sociedade envelhecida em que não é por acaso que há uma coincidência entre o envelhecido e o pobre, tudo isso puxa para trás e frustra muito aqueles que, mais jovens, querem andar para a frente, e pode criar uma clivagem geracional que é indesejável".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+