Tempo
|
A+ / A-

​Extinção do SEF. Ministro não arrisca valor sobre custos do processo

06 mai, 2022 - 13:51 • Celso Paiva Sol , Cristina Nascimento

José Luis Carneiro assegura que o conhecimento e competência dos funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras não serão desperdiçados.

A+ / A-

O ministro da Administração Interna não arrisca estimar um valor sobre quanto custará a extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Esta sexta-feira de manhã, no Parlamento, na apresentação do Orçamento do Estado para 2022 na especialidade, José Luis Carneiro foi questionado sobre os custos deste processo.

Na resposta o governante foi cauteloso e recordou que “esta é uma mudança que implica um diálogo e uma cooperação entre o Ministério da Administração Interna, o Ministério da Justiça, o Ministério dos Assuntos Parlamentares e a Presidência do Conselho de Ministros” e por isso seria “imprudente” avançar com valores.

José Luis Carneiro voltou a ser confrontado com a questão de eventual desperdício de competências. O governante assegurou que “os funcionários serão integrados nas respetivas forças e serviços de segurança, dos diferentes Ministérios” e, como tal, “o seu saber, a sua competência, o seu acervo de conhecimento, a sua perícia, naturalmente que será valorizada e integrada”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+