Tempo
|
A+ / A-

Santos Silva salienta evolução na educação e na descentralização em Portugal

23 abr, 2022 - 00:44 • Lusa

Na mesma mensagem, Augusto Santos Silva assinalou também os progressos registados desde a altura em que foi ministro da Educação.

A+ / A-

O presidente da Assembleia da República visitou esta sexta-feira uma escola básica em Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, e salientou a evolução nos últimos 22 anos na gestão das escolas e na descentralização de competências.

Augusto Santos Silva foi ministro da Educação no segundo Governo liderado por António Guterres, entre 2000 e 2001, depois de ter sido nesse mesmo executivo secretário de Estado da Administração Educativa entre 1999-2000.

"Foi com muito gosto que regressei hoje à Escola Básica Álvaro Guerra, em Vila Franca de Xira, para participar na inauguração das obras de requalificação, 22 anos depois de ali ter estado a testemunhar outras obras de recuperação", escreveu o presidente da Assembleia da República na sua conta na rede social Twitter.

Na mesma mensagem, Augusto Santos Silva assinalou também os progressos registados desde a altura em que foi ministro da Educação.

"Nestes 22 anos, coisas que muitos diziam então ser impossível, como a participação dos pais na gestão das escolas, a constituição dos agrupamentos escolares e o processo de descentralização, fazem hoje parte da vida quotidiana, com vantagem para todos", sustentou.

Augusto Santos Silva recebeu no parlamento o presidente do Senado Federal do Brasil, Rodrigo Pacheco.

"As comemorações do bicentenário da independência do Brasil, a que Portugal se associa a convite brasileiro, constituirão oportunidade para intensificar a cooperação entre os dois parlamentos", referiu o presidente da Assembleia da República.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+