Tempo
|
A+ / A-

PCP. Deputados não vão justificar falta na sessão com Zelensky no Parlamento

23 abr, 2022 - 12:10 • Susana Madureira Martins

O regimento da Assembleia da República prevê duas justificações para as faltas dos deputados: ou por motivos de doença ou trabalho partidário.

A+ / A-

O gabinete de imprensa da bancada parlamentar comunista confirmou à Renascença que os seis deputados não irão apresentar qualquer justificação pela ausência no plenário, de quinta-feira, que contou com a intervenção do Presidente da Ucrânia.

Um cenário admitido ontem pelo antigo líder parlamentar comunista Bernardino Soares.

O regimento da Assembleia da República prevê duas justificações para as faltas dos deputados: ou por motivos de doença ou trabalho partidário. O artigo 3.º refere mesmo que a soma de cinco faltas injustificadas pode levar à perda do mandato de deputado.

No texto lê-se que a perda de mandato existe quando o deputado "não tome assento na Assembleia até à quarta reunião ou deixe de comparecer a quatro reuniões do Plenário por cada sessão legislativa, salvo motivo justificado".

Ora, os deputados comunistas podem sempre optar por ter uma falta injustificada e ninguém lhes pedirá contas por isso, sendo que esta Sessão Solene em que participou e interveio Volodimyr Zelensky conta como uma sessão única e o debate plenário sobre Defesa que decorreu logo a seguir com a presença da ministra Helena Carreiras conta como uma segunda sessão.

Por regra, os deputados têm cinco dias para justificar a falta numa sessão plenária e todos os deputados terão de justificar a ausência na Sessão Solene ou, em alternativa, optar por nem sequer apresentar uma justificação, contando como uma falta injustificada.


Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+