Tempo
|
A+ / A-

Secretária de Estado diz que pacote europeu de 17 biliões para refugiados ucranianos é "ambicioso"

28 mar, 2022 - 19:49 • Redação

​É um pacote de medidas ambicioso, nas palavras da secretaria de Estado da Administração Interna.

A+ / A-

A secretaria de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, disse esta segunda-feira que o plano de Bruxelas contempla três áreas para ajudar a integrar os refugiados da Ucrânia em toda a Europa.

"Estamos a falar de um envelope que pode chegar aos 17 biliões de euros. Isto agora obviamente a ser distribuído em função daqueles que serão os projetos identificados, são três instrumentos diferentes relacionados com a área das migrações, também na área do mecanismo europeu de proteção civil", enumera.

Entre as várias medidas está o lançamento de uma plataforma única para registo dos refugiados em território europeu.

Na conferência de imprensa, depois do conselho extraordinário de Justiça e Assuntos Internos em Bruxelas, Patrícia Gaspar anuncia que Portugal já ultrapassou a barreira dos 23.400 refugiados no nosso pais.

"A Comissão Europeia apresentou hoje um plano ambicioso com dez pontos em concreto, dos quais eu destacava os que os parecem ter maior expressão aqui, que tem a ver com o desenvolvimento de plataforma única para registo destas pessoas que estão a chegar ao território europeu", explica.

"Até aqui, nós tivemos a maior parte das pessoas a serem integradas sobretudo através das diásporas, das redes de amigos, das famílias e, portanto, é natural que agora comece a haver uma maior sobrecarga para aqueles que são os serviços dos próprios Estados", especifica.

Patrícia Gaspar, a secretária de Estado da administração interna que reafirmou que Portugal não regista até ao momento qualquer situação de trafico de seres humanos, entre os refugiados ucranianos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+