Tempo
|
A+ / A-

Legislativas 2022

Cotrim Figueiredo antevê "mais abstenção do que o habitual"

30 jan, 2022 - 10:32 • Lusa

O presidente da Iniciativa Liberal foi o primeiro líder partidário a votar. "Venham votar. Não deixem que outros decidam por vocês", apelou.

A+ / A-

Veja também:


O presidente da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim Figueiredo, reforçou o apelo ao voto nas eleições legislativas deste domingo, antevendo altos níveis de abstenção e lamentando a falta de condições "administrativas e de organização".

"Estão reunidas as condições, com tudo o que se passou relativamente à pandemia, para termos mais abstenção do que é habitual", disse João Cotrim Figueiredo à comunicação social, após votar numa escola básica em Lisboa.

O líder liberal deixou no entanto um apelo ao voto, apontando que "há condições de segurança".

"Espero que em todo o Portugal continental e nas regiões autónomas esse direito seja exercido e, até, nas secções consulares – em que ontem [sábado] soubemos que houve alguns problemas, espero que estejam resolvidos e que ninguém deixe de votar por não ter condições legais para o fazer", apelou João Cotrim Figueiredo.

"Não deixem que outros decidam por vocês", sublinhou, dirigindo-se aos eleitores.

Ainda sobre a abstenção, João Cotrim Figueiredo considerou que a ação dos partidos políticos criou "condições políticas para que haja menos abstenção, mas as condições administrativas e de organização podiam ter sido melhores".

"Foi uma boa campanha. Acho que todos os partidos se esforçaram para mobilizar o seu eleitorado – nós fizemos a nossa parte", afirmou, acrescentando que todos os partidos "fizeram uma campanha bastante esclarecedora para os padrões" recentes.

Quanto ao voto de eleitores infetados ou em isolamento devido à Covid-19, que o Governo recomenda votarem entre as 18h00 e as 19h00, João Cotrim Figueiredo diz que foi "a solução possível".

O presidente da IL referiu ainda que será uma noite eleitoral "mais longa que o habitual" e que os mandatos dos círculos de fora de Portugal "poderão fazer a diferença para a maioria eleitoral numa eleição que se prevê renhida".

Em 2019, a taxa de abstenção atingiu o recorde de 51,43%, comparando com os 8,3% nas eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, ou os 16,4% das primeiras legislativas, em 1976.

No total, são eleitos 230 deputados à Assembleia da República, de onde sairá o XXIII Governo Constitucional.

Podem votar para as eleições antecipadas de hoje 10.820.337 eleitores, mais 9.808 do que nas anteriores legislativas, em 2019. .

A legislatura atual, que terminaria apenas em 2023, foi interrompida depois do "chumbo" do Orçamento do Estado para 2022 ter gerado uma crise política que levou à dissolução do parlamento e à convocação de eleições antecipadas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+