Tempo
|
A+ / A-

Legislativas: Costa reconhece que portugueses "não querem uma maioria absoluta"

28 jan, 2022 - 20:58 • Lusa

O líder do PS diz que assumirá a governabilidade “em função das condições” que lhe serão apresentadas.

A+ / A-

O secretário-geral do PS, António Costa, reconheceu hoje que os portugueses “não querem uma maioria absoluta”, assegurando que não “faz chantagens” ou condiciona os eleitores e que assumirá a governabilidade “em função das condições” que lhe serão apresentadas.

“Manifestamente as pessoas não queriam, não querem, não desejam uma maioria absoluta. Eu tenho pena, mas não desejo. Aquilo que eu digo aos portugueses é – e como não faço birra, nem chantagens, nem condiciono os eleitores – eu, em função das condições que me derem para governar, vou assumir as responsabilidades de governar”, disse António Costa, em declarações à SIC, numa entrevista conduzida pelo jornalista José Manuel Mestre.

E acrescentou: “Do ponto de vista político, o PS, pela sua centralidade no sistema político, é quem está em melhores condições para lançar pontes”.

Questionado sobre uma possível candidatura nos próximos quatro anos, o atual primeiro-ministro disse que “é um tempo muito distante”.

“Para já, o que importa é saber e respeitar aquilo que são as opiniões dos portugueses”, salientou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+