Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Legislativas 2022

BE diz que maioria será de esquerda independentemente do partido mais votado

27 jan, 2022 - 00:19 • Lusa

Para a coordenadora do BE, "qualquer que seja o partido mais votado no domingo, a direita terá menos deputados e haverá uma maioria à esquerda no parlamento".

A+ / A-

Veja também:


A coordenadora do BE, Catarina Martins, defendeu hoje que "qualquer que seja o partido mais votado no domingo" haverá uma maioria de esquerda no parlamento e a direita terá menos deputados, apelando ao voto das gerações mais jovens.

A Incrível Almadense, em Almada, é paragem obrigatória nas campanhas do Bloco de Esquerda e voltou a receber um comício do partido no qual Catarina Martins afirmou que "o futuro que a direita anuncia é bem conhecido de todas as gerações em Portugal e não é mais do que um regresso ao passado".

"Não passarão porque este programa não tem maioria na sociedade e é por isso que se oculta sobre as cores garridas da inovação. Repito: isto é velho, isto é caduco", enfatizou.

Para a coordenadora do BE, "qualquer que seja o partido mais votado no domingo, a direita terá menos deputados e haverá uma maioria à esquerda no parlamento".

"O PS já disse que sem maioria absoluta quererá dialogar. Está por saber se esse diálogo será com o PSD ou com o BE", disse, num discurso que decorreu a pouco mais de dois quilómetros de onde, pela mesma hora, se realizava o comício dos socialistas com António Costa, na Sociedade Filarmónica União Artística Piedense, também em Almada. .

Por isso, Catarina Martins insistiu numa tónica que tem usado nos seus discursos.

"Quem quer um entendimento à esquerda, quem quer uma maioria política que traduza a maioria da sociedade e derrote a direita e o seu regresso ao passado, já sabe: no domingo vota no BE", apelou.

Pedindo que "a maioria social faça uma maioria política pelo progresso nas eleições deste domingo", a líder do BE elencou aquilo que considera representar a modernidade.

"É derrotar o racismo e a homofobia, é o estado social que corrige as desigualdades, é a igualdade entre homens e mulheres, é enfrentar o caos climático, é direitos por inteiro para todos e para todas", defendeu.

Avisando que "nenhuma sondagem falará pelas pessoas", Catarina Martins deixou um "apelo às gerações mais jovens, que sabem das lutas que têm feito e sabem que agora podem votar e que o voto é também a sua voz".

"Quem se mobilizou pelo clima, quem diz que no mundo ninguém é estrangeiro, quem sabe que a sua comunidade e a sua família é feita de todas as origens e de todas as cores, quem respeita quem ama quem quer, quem quer a liberdade por inteiro no domingo vota e o seu voto é no BE", pediu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sofia
    27 jan, 2022 Lisboa 14:35
    O BE já sabe como o povo vai votar! E a RR continua a promover o marxismo-leninismo, trotskista e maoista!

Destaques V+