Tempo
|
A+ / A-

Legislativas 2022

João Oliveira responde a Costa. “CDU é uma força de convergência e de soluções”

24 jan, 2022 - 16:36 • Cristina Nascimento , Marta Grosso com Lusa

Líder parlamentar do PCP diz que a decisão sobre o futuro político do país está nas mãos do povo português.

A+ / A-

Veja também:


São os eleitores que dirão o que querem que aconteça no Parlamento e ao nível do Governo e irão dizê-lo através do voto, afirma João Oliveira, depois de António Costa se ter mostrado disponível para falar com todos os partidos a seguir às eleições.

“A questão essencial que está colocada é saber qual é a resposta que o povo português dá no dia 30 em relação àquilo que quer para o futuro. Como temos dito, independentemente daquilo que diga cada um dos partidos, é o povo português que decide no dia 30 aquilo que quer para a frente”, afirmou nesta sexta-feira, em Serpa.

O líder parlamentar comunista sublinhou de seguida que a CDU tem provas dadas no que diz respeito à convergência.

“Nós já demos provas que toda a gente conhece e reconhece de que a CDU é de facto uma força de convergência, uma força de soluções para o país e de convergência para que essas soluções sejam concretizadas”, destacou.

“E continuamos convictos de que, no dia 30, tendo o povo nas mãos essa possibilidade de decidir, com o voto na CDU, pela exigência dessa convergência e dessas soluções para os problemas que estão colocados”, conclui.

Um cenário "não muito diferente" de 2015

No Alentejo, o dirigente comunista considerou defendeu que o cenário que se apresenta ao país nas legislativas de domingo “não é muito diferente” do de 2015.

“Antes de 4 de outubro de 2015, o que íamos ouvindo não é muito diferente do que ouvimos agora e povo português decidiu com uma maioria de esquerda”, referiu o líder parlamentar do PCP, à margem de uma declaração sobre agricultura superintensiva, num cruzamento na estrada nacional que liga Beja a Serpa.

O membro da Comissão Política do Comité Central do PCP acrescentou que, em 30 de janeiro (domingo), os portugueses têm novamente a “possibilidade de decidir soluções para o país em torno das soluções que são necessárias”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+