Tempo
|
A+ / A-

Legislativas 2022

PSD quer rever a Lei da Imigração com inspiração nos EUA

07 jan, 2022 - 17:13 • Ricardo Vieira

Rui Rio apresentou esta sexta-feira o programa eleitoral do partido para as eleições de 30 de janeiro.

A+ / A-

O programa eleitoral do PSD, apresentado esta sexta-feira, defende a revisão da Lei da Imigração inspirada nos Estados Unidos, com a adoção de um sistema de pontos e de "carta verde".

O partido liderado por Rui Rio quer criar uma Agência para as Migrações, uma fusão entre a recém criada Agência Portuguesa para as Migrações e Asilo, no contexto da reforma do SEF, e do Alto Comissariado para as Migrações.

A nova Agência para as Migrações estará "essencialmente focada na atração e retenção de talento em Portugal". O talento tanto pode ser estrangeiro como originário no retorno de portugueses no estrangeiro, refere o documento.

"Portugal é um país que se tem revelado acolhedor de milhares de imigrantes e refugiados. Porém, ao bom acolhimento nem sempre tem correspondido idêntica abertura à sua integração e fixação. Subsistem bolsas de pobreza e de exclusão que urge eliminar", refere o programa eleitoral do PSD.

Os sociais-democratas consideram que Portugal "pode ser um exemplo de acolhimento e integração de migrantes, estruturando uma sociedade cosmopolita, tolerante e multicultural, com elevados indicadores de integração social".

O programa eleitoral do PSD considera que é preciso "conceber políticas de imigração consistentes e estáveis que respondam aos previsíveis déficits de recursos humanos que já estamos a enfrenta".

Noutro plano, Rui Rio promete que, se ganhar as eleições legislativas de 30 de janeiro, vai implementar um choque fiscal, com a redução de vários impostos para empresas e famílias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+