Tempo
|
A+ / A-

"Deixo a Marinha não por vontade própria", diz almirante Mendes Calado

23 dez, 2021 - 20:09 • Lusa

De acordo com o CEMA exonerado - que será substituído no cargo por Henrique Gouveia e Melo - "mares agitados exigem mão firme no leme", garantindo que foi o que procurou "fazer até ao último momento".

A+ / A-

Mendes Calado, Chefe do Estado-Maior da Armada hoje exonerado, afirmou que deixa a Marinha "não por vontade própria", assegurando que "até ao último momento" manteve a "mão firme no leme" porque é isso que "mares agitados" exigem.

"Foi uma honra ter sido o vosso comandante. Falta-me tempo e palavras para expressar tamanha gratidão. Deixo a Marinha não por vontade própria pois os que me conhecem não entenderiam que abandonasse o leme da nossa Marinha depois de tanto resistir ao temporal que nos assolou nos últimos tempos", afirmou Mendes Calado num vídeo publicado no Facebook oficial da Marinha.

De acordo com o CEMA exonerado -- que será substituído no cargo por Henrique Gouveia e Melo -- "mares agitados exigem mão firme no leme", garantindo que foi o que procurou "fazer até ao último momento".

Segundo a nota do Palácio de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa "depois de receber o Senhor Almirante CEMA, e tendo em consideração a que haverá, muito em breve, legislação orgânica sobre o Estado-Maior-General e os três ramos das Forças Armadas -- significando um novo ciclo político e funcional --, entendeu ser chegado o tempo de proceder à referida exoneração".

Desta forma, antecipa-se "alguns meses o termo do segundo mandato", o que vai ocorrer "de acordo com disponibilidade manifestada" por Mendes Calado, referia a mesma nota.

O Presidente da República vai dar posse a Henrique Gouveia e Melo como CEMA na segunda-feira, considerando "ser chegado o tempo" de exonerar Mendes Calado do cargo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • MANUEL DA COSTA
    28 dez, 2021 SYDNEY 08:35
    Será que aos portugueses não lhes é dado o direito em saber a verdadeira causa da exoneração de Mendes Calado? Ou é algo que faz parte do "segredo dos deuses"?
  • Cidadao
    23 dez, 2021 Lisboa 22:56
    E vai haver finalmente Marinha, ou vamos continuar o caminho das "mini-marinhas" - como a GNR e a sua bela lancha que aliás, fêz encalhar, num dia de Sol Com mar calmo, vê-se logo o que percebem de navegação - enquanto Arsenal de Alfeite e navios apodrecem, até a dita Marinha não passar de um monte de destroços?

Destaques V+